Nascido em 1952, Eduardo Souto de Moura deu os primeiros passos profissionais ao lado do arquiteto Álvaro Siza Vieira, com quem trabalhou durante cinco anos, até 1980, altura em que se licenciou pela Escola Superior de Belas Artes do Porto. Logo nesse ano ganhou o seu primeiro prémio, atribuído pela Fundação Engenheiro António de Almeida.

Desde então projetou uma vasta obra distribuída pelo mundo. Entre os seus projetos mais emblemáticos destacam-se o Departamento de Geociências da Universidade de Aveiro,a Casa das Histórias Paula Rego (Cascais), o Estádio Municipal de Braga, a Casa das Artes no Porto, o Centro de Arte Contemporânea de Bragança, o Hotel do Bom Sucesso (Óbidos), o Mercado da Cidade de Braga, a Marginal de Matosinhos-Sul, o Crematório de Kortrijk (Bélgica) ou o Pavilhão de Portugal na 11ª Bienal de Arquitetura de Veneza (Itália).

Foi distinguido por três vezes com o Prémio Secil de Arquitetura (1992, 2004 e 2011). Na lista de galardões de Souto de Moura figuram ainda o Prémio Anual da Secção Portuguesa da Associação Internacional de Críticos de Arte (1992), o Prémio Internacional da Pedra na Arquitetura (1995), o 1º Prémio na I Bienal Ibero-Americana (1998) e o Prémio Pessoa (1998). Recebeu ainda a Medalha de Ouro Heinrich Tessenown (2001). Em julho de 2011, Souto de Moura foi distinguido pela Faculdade de Arquitetura e Artes da Universidade Lusíada do Porto com o doutoramento Honoris Causa.

» Intervenção do Arquiteto Souto Moura

última atualização a 17-03-2017
Este sítio web utiliza cookies sem recolher informação pessoal que permita a identificação dos utilizadores. Ao navegar neste sítio está a consentir a sua utilização.saber mais
Para que esta página funcione corretamente deve ativar a execução de Javascript. Se tal não for possível, algumas funcionalidades poderão estar limitadas.