objetivos

São objetivos gerais deste programa doutoral:
— proporcionar aos doutorandos uma formação avançada em estudos culturais devidamente ancorada na teorização contemporânea;
— desenvolver competências metodológicas avançadas em estudos culturais e promover a realização de projetos de investigação original que contribuam para um melhor conhecimento da cultura nas suas diversas perspetivas e nas suas relações intersistémicas;
— incentivar uma formação especializada em Estudos Culturais que valorize e promova o diálogo interdisciplinar, a interculturalidade e a multiperspetividade;
— potenciar uma forte atitude colaborativa entre todos os envolvidos no PDEC bem como com outros parceiros que for possível agregar.

Objetivos de aprendizagem (conhecimentos, aptidões e competências) a desenvolver pelos estudantes:
Prevê-se que os doutores resultantes deste programa doutoral obtenham ou consolidem as seguintes competências:
1. competência sociocultural — obtida em alto grau e que privilegie o aprofundamento de teorias, de métodos e técnicas de análise e de comentários culturais nos diversos domínios que forem objeto de trabalho;
2. competência para conceberem, planificarem e realizarem de forma autónoma trabalhos de investigação de alto nível em Estudos Culturais;
3. competência para refletirem de forma crítica, nomeadamente sobre o fenómeno cultural, e partirem para uma síntese de ideias complexas;
4. competência para se abrirem a um diálogo interdisciplinar de modo a estabelecerem pontes entre as diversas tendências dos estudos culturais, mas também com outras ciências que com eles interagem em permanência,
5. competências comunicativas e de mediação literáriocultural de modo a poderem transmitir de forma plena os diversos estudos que realizarem.

saídas profissionais

O Ministério do Trabalho e da Segurança Social não disponibiliza dados de empregabilidade respeitantes a este ciclo de estudos. Contudo, os Chefes de Estado e Governo dos países membros da Comunidade Europeia comprometeram-se na cimeira de Lisboa (2000) com o objetivo de fazer da União «a mais competitiva e dinâmica economia do mundo baseada no conhecimento, capaz de um crescimento económico sustentado com mais e melhor emprego e uma melhor coesão social». Na sequência destas premissas, um recente relatório da Comissão Europeia «The economy of culture in Europe» (2006) defende que o desenvolvimento do setor cultural e criativo tem um impacto muito positivo no setor do emprego, uma vez que este ‘providencia uma enorme variedade de possibilidades de emprego, frequentemente implicando competências de alto nível’. Além disso, o relatório considera que o setor cultural é hoje um elemento incontornável para impulsionar muitos domínios da economia europeia, em particular o da inovação tecnológica.

Mais importante ainda, a Comissão Europeia considera que a Cultura ‘promove a integração europeia e é um instrumento chave para a integração dos componentes das diferentes sociedades europeias integrando-as na sua diversidade, forjando um sentido de pertença, ao mesmo tempo que dissemina valores sociais e democráticos’. O relatório recorda ainda que a Europa é o maior produtor de bens culturais do Mundo, vantagem competitiva que também ao nível económico pode e deve ser rentabilizada.

observações
Local de funcionamento: Universidade de Aveiro
a informação disponibilizada nesta página não dispensa consulta à página de acesso ao ensino superior
Este sítio web utiliza cookies sem recolher informação pessoal que permita a identificação dos utilizadores. Ao navegar neste sítio está a consentir a sua utilização.saber mais
Para que esta página funcione corretamente deve ativar a execução de Javascript. Se tal não for possível, algumas funcionalidades poderão estar limitadas.