história

O Departamento de Engenharia de Materiais e Cerâmica (DEMaC) adotou esta designação em 2012, sucedendo ao Departamento de Engenharia Cerâmica e do Vidro. Este último foi criado em 1976, com o objetivo de responder às necessidades decorrentes do desenvolvimento tecnológico que o processo de fabrico de produtos cerâmicos e vítreos exigia. A sua criação na Universidade de Aveiro decorreu do facto de esta região ser tradicionalmente rica na produção de artigos cerâmicos. Conjuntamente foi criada a Licenciatura de Engenharia Cerâmica e do Vidro.

A produção atual de cerâmicos e vidros não se esgota nos produtos tradicionais de elevada tonelagem de fabrico (tijolos, pavimentos, sanitários, garrafas, etc.), tão conhecidos do grande público. O mundo dos materiais cerâmicos modernos inclui hoje em dia muitos outros produtos essenciais ao desenvolvimento de tecnologias avançadas (substratos e componentes para a indústria eletrónica, próteses para medicina, materiais de elevada resistência mecânica para máquinas de corte e desbaste, etc.).

Porém, o leque de materiais e aplicações em estudo foi alargado, passando a incluir os metais, os plásticos e combinações de materiais de diferente natureza (ditos compósitos), capazes de responder às solicitações mais exigentes. A criação da Licenciatura em Engenharia de Materiais, em funcionamento desde 1990/1991, consolidou o alargamento.

A atividade científica desenvolvida no Departamento tem merecido um realce especial, tal como ilustram as avaliações recentes, o número significativo de publicações a nível internacional, o vasto número de projetos científicos nacionais e internacionais e o grande número de investigadores nacionais e estrangeiros que o procuram. A unidade de investigação a que se encontram associados os docentes do DEMaC viu a qualidade do seu trabalho reconhecida pelo Ministério da Ciência e Tecnologia, ao ser-lhe atribuído o estatuto de Laboratório Associado (CICECO - Centro de Investigação em Materiais Cerâmicos e Compósitos).

O Departamento está sediado desde 1992 num edifício projetado pelo arquiteto Alcino Soutinho. Dispõe de uma área total de 4000 m2 e está equipado com salas, laboratórios e equipamento de ensino e investigação (instalação piloto, estudos reológicos, microscopia eletrónica de transmissão e varrimento, difração de raios-X, análises térmicas, ensaios mecânicos, caracterização de pós, caracterização reológica, sala de fornos e oficina metalomecânica, testes mecânicos e de corrosão), um anfiteatro e uma sala de informática/estudo.

 

Este sítio web utiliza cookies sem recolher informação pessoal que permita a identificação dos utilizadores. Ao navegar neste sítio está a consentir a sua utilização.saber mais
Para que esta página funcione corretamente deve ativar a execução de Javascript. Se tal não for possível, algumas funcionalidades poderão estar limitadas.