mensagem do Diretor do DEMaC

O Departamento de Engenharia de Materiais e Cerâmica (DEMaC) sucedeu ao Departamento de Engenharia Cerâmica e do Vidro da Universidade de Aveiro, que tinha sido um dos primeiros a ser criado aquando da fundação da Universidade, em meados dos anos 70.

Fazem parte da oferta formativa do DEMaC, mestrado integrado engenharia de materiais (1º e 2º ciclos) e materiais e dispositivos biomédicos (2ºciclo/mestrado). Os alunos do 3º ciclo têm a possibilidade de optar pelo Programa Doutoral em ciência e engenharia de materiais ou pelo de nanociências e nanotecnologia. Quer o 2º quer o 3º ciclo destinam-se a alunos de vários quadrantes de ciência e engenharia, como por exemplo, além de engenharia de materiais, outros cursos de engenharia, química, física e saúde. No departamento estudam atualmente cerca de 200 alunos, cerca de 50% deles de pós-graduação, e lecionam 17 docentes, todos eles doutorados e a tempo inteiro.

No que respeita às saídas profissionais, há vários caminhos possíveis. Os graduados podem ser colocados em indústrias que trabalhem com materiais - empresas de projeto, de manutenção, e, serviços diversos. Podem igualmente integrar carreiras de investigação e desenvolvimento. Quanto à efetividade dessas saídas, os resultados são bons. A taxa de empregabilidade dos alunos é de 100%.

Uma das grandes apostas do Departamento é na investigação. Esta envolve além dos docentes, doze investigadores a tempo inteiro e várias dezenas de pós-doutorados e alunos de doutoramento. Estão a decorrer vários projetos com financiamentos nacionais e internacionais num total de cerca de 4 milhões de euros. E o volume de publicações em revistas indexadas é bastante elevado, sendo cerca de 17% de todas as publicações da UA pertencentes ao Departamento, com um número de citações bastante grande.

Os trabalhos de investigação desenvolvidos passam pela síntese e estudo das propriedades de materiais nano e micro estruturados que podem ser utilizados em diferentes tecnologias, soluções de reciclagem de diferentes resíduos, biomateriais, cerâmicos técnicos e tradicionais, compósitos, corrosão e proteção de materiais, revestimentos funcionais, entre outros. No caso da energia, a eficiência dos sistemas depende muito dos materiais que os compõem, portanto o desenvolvimento de novos materiais para obter sistemas mais eficazes e mais sustentáveis constitui também uma área de investigação prioritária. Muitos dos produtos têm sido alvo de patente.

Bem-vindo ao DEMaC !

Mário G.S. Ferreira
Professor Catedrático

 

última atualização a 04-07-2016
Este sítio web utiliza cookies sem recolher informação pessoal que permita a identificação dos utilizadores. Ao navegar neste sítio está a consentir a sua utilização.saber mais
Para que esta página funcione corretamente deve ativar a execução de Javascript. Se tal não for possível, algumas funcionalidades poderão estar limitadas.