Estratégia e Competitividade › 47576

código no paco
47576
área científica
Gestão
créditos
6
escolaridade
ensino teórico-prático (TP) - 45 horas/semestre
idioma(s) de lecionação
Português
objectivos

Os objetivos da unidade curricular são:

  • Fornecer aos discentes um conjunto de elementos que lhes permitam, utilizando uma lógica de raciocínio própria das ciências empresariais, compreender e interpretar o funcionamento das organizações, sejam públicas, privadas ou para-públicas, numa ótica estratégica;
  • Proporcionar aos discentes uma perspetiva técnica e científica da estratégia e competitividade, tanto a nível de planeamento como a nível de implementação;
  • Adquirir um corpo básico de conhecimentos, de forma a permitir a sua aplicação no contexto empresarial no que concerne a tomadas de decisões estratégicas;
  • Desenvolver competências de pesquisa bibliográfica e de campo, de trabalho em grupo e de apresentação oral e escrita científica.
  • Reconhecer a necessidade de adaptação contínua ao meio em que a empresa se insere, nomeadamente tendo em consideração o relacionamento bidirecional empresa-meio ambiente;
competências

Pretende-se que os discentes:

  • Adquiram conhecimento teórico e prático sobre estratégia e competitividade;
  • Aprendam sobre as consequências de operar em ambientes muito competitivos;
  • Aprendam sobre a necessidade de traçar um rumo estratégico de médio/longo prazo, assim como o processo e variáveis envolvidas;
  • Aprendam sobre o papel da inovação e da internacionalização, entre outras estratégias que visam o crescimento sustentado;
  • Adquiram hábitos de pensar “fora da caixa”.

Este conhecimento será adquirido pela discussão de estudos de caso reais, em sala de aula; mas também pela visita de empresas reais no terreno para adquirir conhecimento sobre como se faz estratégia na prática, e face a mercados cada vez mais concorrenciais (o trabalho de grupo a realizar visará recolher dados primários e secundários); apoiado por teoria presente no manual principal (assim como na outra bibliografia recomendada).

conteúdos

MÓDULO BASE – “Strategic Management Inputs

Aula I / Capítulo I – Introdução À Gestão Estratégica e à competitividade estratégica

Aula II / Capítulo II – O Contexto Externo

Aula III / Capítulo III – O Contexto Interno

MÓDULO de FORMULAÇÃO ESTRATÉGICA – “Strategic Actions: Strategy Formulation

Aula IV / Capítulo IV – Estratégia De Negócios

Aula V / Capítulo V – Rivalidade E Dinâmica Competitiva

Aula VI / Capítulo VI – Estratégia Corporativa

Aula VII / Capítulo VII – Estratégias De Aquisição E Fusão

Aula VIII / Capítulo VIII – Estratégias De Internacionalização

Aula IX / Capítulo IX – Estratégias Cooperativas

MÓDULO de NOVAS PERSPETIVAS ESTRATÉGICAS

Aula X / Capítulo X – Governança corporativa 

Aula XI  – Responsabilidade social e ambiental

Aula XII / Capítulos XII e XIII – Liderança estratégica – “Strategic leadership” / Empreendedorismo estratégico – “Strategic entrepreneurship” 

Aula XIII – Desafios Estratégicos. Wrapping Up

avaliação

A avaliação da disciplina é discreta. É realizada através do envolvimento em um trabalho de grupo, de cariz predominantemente científico, e da realização de uma prova escrita, sem consulta.

A prova escrita valerá 50% da nota final.

O trabalho de grupo (TG), de três ou quatro pessoas, versará sobre um estudo de caso, e terá uma ponderação de 50% da nota final. Os grupos deverão combinar com o docente da TP a empresa a analisar, devendo ser proposta pelo grupo até ao dia 7 de Outubro. O TG será apresentado / entregue no mês de Novembro, de acordo com calendarização proposta pelo docente.

Na avaliação por exame final os alunos realizarão um só exame (que contará assim 100% para a nota final), na época de exames, em data a definir pelos serviços centrais.

Para o exame de recurso, em data também a definir pelos serviços centrais, não contará o trabalho de grupo (a nota do exame de recurso contará a 100% para a nota final).

Em síntese:

  • Avaliação Discreta

Trabalho de Grupo (apresentação e entrega em Novembro)

50%

Teste

50%

 

Nota Miníma: Não há.

 

  • Trabalho de Grupo
    • Ver por favor as regras descritas em documento específico para o efeito

 

  • Avaliação Final

Exame Final

100%

 

  • Avaliação Época de Recurso

Exame Recurso

100%

requisitos

Não há requisitos.

metodologia

As aulas de estratégia e competitividade são dadas em sessões modulares, suportadas por elementos convencionais e multimédia:

- há distribuição em sala de aula de artigos impressos académicos e.g. da Harvard Business Review, de artigos de fontes de media reputados e.g. New York Times e Wall Street Journal, havendo distribuição também em sala de aula de casos de estudo sobre diversos temas de estratégia e competitividade - sejam sobre inovação, internacionalização, governança corporativa, entre outros;

- há também passagem de slides tipo-resumo da matéria, abordando os principais pontos dos diversos capítulos de matéria;

- há discussão de casos em grupo, incluindo com input dos alunos estrangeiros em Erasmus, sendo sempre muito benéfica esta troca de conhecimento internacional;

- há desenvolvimento de aplicações estudos de campo, pelos alunos, o que permite desenvolver capacidades de raciocínio e de investigação assim como de escrita (os alunos têm também que realizar uma pesquisa bibliográfica e aprender a trabalhar em grupo; fazem ainda para este projeto uma apresentação oral para o docente e para os colegas);

- o docente partilha a sua experiência profissional, nacional e internacional, assim como de investigador (técnica e científica), com os alunos (o docente já trabalhou em multinacionais como agente de mudança, de novas estratégias a implementar, assim como ao nível da análise e do planeamento, nomeadamente tendo sido responsável por análises SWOT estratégicos e internacionais; é focada a constante mudança a que os profissionais e as empresas estão sujeitas, num processo contínuo de interação com o meio ambiente);

- fomenta-se ao longo destas atividades um clima de partilha e de participação que enriquece o clima de aprendizagem; no sentido sempre da aplicação no contexto empresarial e das várias opções de crescimento existentes, sejam ligadas à inovação, fusões e aquisições, como também às estratégias cooperativas.

O docente leciona em Inglês para os alunos de Erasmus, em Português para os alunos nacionais, e também em Castelhano para os alunos Espanhóis. Desta forma o aspeto língua é focado e mostrado como sendo importante num ambiente empresarial cada vez mais global e certamente internacional, para todo o tipo de empresas, nacionais como estrangeiras.

bibliografia recomendada

Bibliografia principal:

Hitt, M., Ireland, R. e Hoskisson, R. (2011) Strategic Management: Concepts. Competitiveness and Globalization. 9th ed., South-Western, Mason, USA.

Bibliografia complementar:

Kim, W.C., Mauborgne, R. (2005). Blue Ocean Strategy – How to create uncontested market space and make the competition irrelevant. Harvard Business Review Press, Boston, MA, USA.

McAdams, D. (2014). Game Changer: Game Theory and the Art of Transforming Strategic Situations. W. W. Norton & Company, New York, NY, USA.

Porter, M.E. (1998). Competitive strategy – Techniques for analyzing industries and competitors. Free Press, New York, NY, USA.

Schwartz, P. (1996). The art of the long view – Paths to strategic insight for yourself and your company. Crown Business, New York, USA.

Simon, H. (1996). Hidden champions – Lessons from 500 of the world’s best unknown companies. Harvard Business School Press, Boston, MA, USA.

Teixeira, S. (2011). Gestão estratégica. Lisboa: Escolar Editora.

Torrens, C. (2010). Doing business in China – A guide to the risks and the rewards. The Economist Newspaper and Profile Books: London, UK.

Wagner, C.G. (2010). Strategies and technologies for a sustainable future. World Future Society, Maryland, USA.

Este sítio web utiliza cookies sem recolher informação pessoal que permita a identificação dos utilizadores. Ao navegar neste sítio está a consentir a sua utilização.saber mais
Para que esta página funcione corretamente deve ativar a execução de Javascript. Se tal não for possível, algumas funcionalidades poderão estar limitadas.