parceiros industriais - depoimentos

Depoimentos industriais
a

Benjamim Pinho dos Santos

        Licenciado em Engenharia Química Industrial pela FEUP,

        Presidente do Conselho de Administração da INDASA – Indústria de Abrasivos, SA

d

A INDASA tem-se suportado nos últimos anos das valências existentes na Universidade de Aveiro para resolução de questões concretas e relacionadas quer com o processo de fabrico de lixas quer com o próprio desenvolvimento do produto.

Sendo uma empresa de projecção internacional tem exigências que a levam a recorrer à colaboração com grupos de excelência em determinadas áreas, o que lhe permite avanços importantes em várias frentes. Tem sido este o objectivo principal da parceria com a Universidade de Aveiro e mais concretamente com o Departamento de Química. Vários têm sido os projectos: desde estudos de matérias-primas, passando por reformulações de produto bem como estudos de questões relacionadas com o processo. E amplos têm sido também os impactos: melhoria de desempenho ambiental, melhoria de produto e de processo.

a

O Departamento de Química da Universidade de Aveiro, pelo dinamismo da sua equipa, tem respondido de forma eficaz aos desafios que lhe vão sendo lançados; as respostas obtidas são fundamentadas e testadas tendo ajudado a alcançar os objectivos que consideramos ambiciosos. A relação de confiança é também algo que estimamos e valorizamos. É importante que os mecanismos de cooperação estejam bem articulados para que os resultados possam ser alcançados em tempo considerado justo.

 

 

Jorge Correia Ribeiro

       Licenciado em Química,

       Responsável da Qualidade da Refinaria do Porto (Petrogal)

d

Desde há alguns anos a Refinaria do Porto (RP) e o Departamento de Química da Universidade de Aveiro têm colaborado em áreas de interesse comum. Essa colaboração tem sido concretizada de diversas formas sendo de destacar:

- A realização de análises físico-químicas numa e noutra instituição para caracterização de produtos petrolíferos, principalmente, no âmbito de estudos relacionados com as características de frio de combustíveis;

- Realização de palestras e trocas de impressões técnicas com o objectivo de aprofundar conhecimentos sobre a tecnologia de aditivos de frio e sobre o seu comportamento a baixas temperaturas.

- Participação de colaboradores da RP em cursos de pós graduação com temas relacionados com a actividade petrolífera.

a

Esta colaboração tem permitido aprofundar conhecimentos sobre as propriedades dos produtos petrolíferos e sobre o seu comportamento em situações de baixas temperaturas.

O relacionamento com o DQUA resulta da sua grande experiência e conhecimento numa área que consideramos de grande importância para a nossa indústria e que se relaciona  com as propriedades e comportamento dos produtos petrolíferos a baixas temperaturas.

 

 

José Luís Pinheiro de Sousa Nogueira

      Licenciado em Engenharia Química pela FEUP,

      Director de I&D e Qualidade da CIN – Corporação Industrial do Norte, SA

d

A colaboração da CIN com a Universidade de Aveiro iniciou-se em 2003, no âmbito de duas parcerias:

- Co-orientação de um aluno de licenciatura da disciplina de Corrosão e Protecção de Materiais que realizou um estágio na CIN subordinado ao tema “Estudo de Pigmentos Anticorrosivos em Sistemas Aquosos”;

- Leccionação da cadeira “Corrosão e Protecção de Materiais” por José Nogueira, Director de I/D e Qualidade do Grupo CIN, cadeira curricular para o 3º ano do curso de Engenharia de Materiais e para o 4º ano do curso de Engenharia Química.

a

Desde essa altura que esta parceria se tem desenvolvido em qualidade e quantidade, diversificando-se as formas de colaboração.

São de referir a co-orientação de um aluno de licenciatura do curso Química Industrial e Gestão subordinado ao tema “Substituição de Pigmentos Inorgânicos que são nocivos para a saúde humana ou para o meio ambiente”, participação de colaboradores da CIN nos cursos sobre polímeros e colóides, superfícies e interfaces realizados pelo CICECO – Centro de Investigação em Materiais Cerâmicos e Compósitos do Departamento de Química, e, sobretudo, pela adesão da CIN à plataforma IDPoR – Plataforma de Inovação e Desenvolvimento em Polímeros de Fontes Renováveis, promovida pelo CICECO.

Esta parceria tem resultado em benefícios mútuos. Por um lado, a CIN tem a possibilidade de desenvolver projectos de I&D num leque alargado de áreas de especialidade, tirando partido das várias valências dos docentes da Universidade de Aveiro. Por outro lado, alunos e professores envolvidos nos projectos beneficiam dum contacto com a indústria mantendo uma grande interacção com a sua escola. A CIN tem, muito em particular, uma elevada expectativa da sua participação na Plataforma IDPoR pelo que daí pode resultar de desenvolvimento de novos polímeros que lhe permitam desenvolver por sua vez produtos inovadores capazes de lhe permitir manter vantagens competitivas sobre a sua concorrência no mercado nacional e, sobretudo, nos mercados internacionais onde pretende afirmar cada vez mais a sua presença.

 

 

Julio César Magalhães Dias

     Químico de Petróleo Sênior,   M.Sc.

     Centro de Pesquisa e Desenvolvimento Leopoldo Américo Miguez de Mello

     PETROBRAS - Petróleo Brasileiro S.A.

d

A deposição de ceras é um sério problema na industria do petróleo e que tem demandado a atenção de diversos pesquisadores. No Centro de Pesquisas da Petrobras (CENPES) este problema tem sido assunto de preocupação e objeto de diversos estudos. Eu havia iniciado 2004 um projeto de pesquisa com o objetivo de estudar os métodos de determinação das ceras em petróleos quando decidi fazer contato com o Prof. João Coutinho do Departamento de Química da Universidade de Aveiro, convidando-o para nos auxiliar neste trabalho.

a

Com a ajuda do Prof. João Coutinho e de sua equipe foi possível a caracterização das ceras presentes nos petróleos oriundos das bacias sedimentares brasileiras. Ele ainda nos auxiliou na avaliação de diferentes metodologias de determinação de ceras através de um estudo termométrico da cristalização dos compostos parafínicos. Como resultado deste trabalho tivemos um aumento no conhecimento sobre a composição dos petróleos brasileiros e quanto aos problemas relacionados à deposição de ceras.

O sucesso desta parceria com o Prof. Coutinho foi muito importante para abrir novas linhas de pesquisa na área da caracterização dos petróleos brasileiros. Por esta razão esperamos continuar tendo o Departamento de Química da Universidade de Aveiro como um importante parceiro em nossas pesquisas.

 

 

Luis Silva

     Licenciado em Química Industrial FCTUC,

     Director Técnico da WEBER - Cimenfix

   

d

Abaixo, indico os dois eixos principais que reflectem a colaboração entre o Departamento de Química da UA com a Weber Cimenfix:

 

1) Intercâmbio de alunos em final de curso (Recursos Humanos)

Alguns exemplos de colaboração:

a)       Desenvolvimento de um cimento-cola à base de cimento aluminoso (trabalho realizado com o Prof. Tito Trindade); já concluído.

b)       Estudo da introdução de nanotubos de carbono em argamassas de reboco (em progresso, com a Prof. Ana Barros);

c)        Estudo da durabilidade de polímeros em argmassas (com a Prof. Ana Barros; em progresso);

d)       Estudo de uma cola capaz de colar/descolar para cerâmicos (com o Prof. Alessandro Gandini; ainda não iniciado).

a

2) Valor acrescentado para a Webe: Base de conhecimento, partilha de informação, partilha de utilização de equipamentos específicos e estudos que permitiram desenvolvimento de produtos e redução de custos.

O motivo principal: A U.A. apresenta elevado interesse nas dificuldades da indústria e olha-as como desafios de investigação

 

Serafim Tavare s

     Engenheiro,

     Director Geral do RAIZ – Instituto de Investigação da Floresta e Papel

   

d

Tem o RAIZ vindo a trabalhar, há mais de 10 anos, com a área de Química da Universidade de Aveiro.

O início das relações estabeleceu-se por força da proximidade, do legado de relacionamento pré–existente entre a Portucel e a Universidade de Aveiro, e ainda, das características promissoras que uma Universidade jovem e um corpo docente jovem detinham.

Temos apreciado com muito agrado a contribuição da área de Química da Universidade de Aveiro, sobretudo, por força da elevada especialização de conhecimento científico que os docentes detêm na área dos biocompostos, bem como, da atitude de abertura e colaboração eficaz que têm demonstrado.

a

O conhecimento aprofundado da química do eucalipto E. globulus que hoje se detém, constitui um contributo inestimável para a optimização dos processos de produção de pasta a partir desta espécie.

Continuamos a apostar na colaboração com o departamento de Química da Universidade de Aveiro fruto das elevadas expectativas que detemos.

 
 

António Moreira

     Licenciado em Química - ramo química analítica (UA),

     Responsável de produção - Flexipol, Espumas Sintéticas, S.A.

   

d

A colaboração institucional com a Universidade de Aveiro surgiu como uma oportunidade para a Universidade e a Flexipol obterem vantagens mútuas dos estágios curriculares. Foi a clara abertura da Universidade de Aveiro à indústria que permitiu a colaboração, algo que não se observa noutras instituições. Esta colaboração permitiu à empresa ter acesso a equipamentos e métodos existentes na UA e não disponíveis na Flexipol, permitindo um melhor desenvolvimento dos produtos e processos industriais.

a
Os alunos desenvolveram trabalhos em área de investigação aplicada aos produtos que a Flexipol comercializa ou poderá vir a comercializar, permitindo-lhes desenvolver o estágio em ambiente empresarial, apercebendo-se das tarefas diárias desta indústria. Alguns dos conhecimentos adquiridos nos trabalhos de estágio foram aplicados no desenvolvimento de novos produtos e melhoria dos existentes.
 
 
Este sítio web utiliza cookies sem recolher informação pessoal que permita a identificação dos utilizadores. Ao navegar neste sítio está a consentir a sua utilização.saber mais
Para que esta página funcione corretamente deve ativar a execução de Javascript. Se tal não for possível, algumas funcionalidades poderão estar limitadas.