Seminário de Investigação em Multimédia em Educação I › 45563

código no paco
45563
área científica
Ciências e Tecnologias da Comunicação
créditos
12
idioma(s) de lecionação
a inserir brevemente
objectivos

- Desenvolver conhecimentos, capacidades e atitudes de investigação que facilitem a apreciação e construção de trabalhos científicos.
- Adquirir instrumentos conceptuais e metodológicos que permitam identificar, observar e compreender problemas com os quais se confronta a multimédia em contexto educativo, assim como apresentar e concretizar propostas de resolução adequadas, incluindo a adopção e/ou construção de instrumentos de investigação adequados. 

 

competências

No final desta UC espera-se que os alunos sejam capazes de:

- Identificar um problema específico na área de intersecção educação-tecnologia

- Construir um plano de investigação adequado e fundamentado, tendo em conta o seu contexto de aplicação.

conteúdos

Constituindo-se enquanto espaço de contacto crítico com diferentes metodologias que possibilitem a construção de projectos de investigação em Multimédia em Educação realistas e adequados às suas finalidades, temáticas e contextos, espera- se que este espaço curricular ajude os formandos a responderem a questões como:

- Que metodologias de investigação em educação têm sido desenvolvidas?

- Como têm sido aplicadas à área da Multimédia?

- Que efeitos têm produzido no terreno?

- Como interpretar resultados de investigação?

- Como, enquanto investigador, me deverei situar relativamente à investigação já produzida?

- Como definir um problema de investigação?

- Que metodologia(s) eleger para lhe dar resposta?

- Como me organizar para chegar a resultados úteis?

avaliação

A avaliação da UC de Seminário de Investigação em Multimédia em Educação resulta da classificação atribuída à apresentação e defesa do projecto de investigação, numa prova pública com um arguente externo à Universidade de Aveiro. 

 

requisitos

De acordo com o Regulamento do Programa Doutoral, a continuidade para desenvolvimento de tese está dependente da obtenção de uma classificação mínima de 16 valores na disciplina de SIME. 

 

metodologia

As sessões presenciais destinar-se-ão à apresentação de um conjunto de conhecimentos que serão discutidos, posteriormente, em grande grupo com os docentes e/ou com os respectivos orientadores, em sessões de acompanhamento presenciais e /ou a distância. Para este fim, serão apresentadas temáticas propostas pelos potenciais orientadores, prevendo-se também a eventual aceitação de orientação de outras temáticas não consideradas, propostas pelos alunos. Em casos pontuais, justificados, permitir-se-á a co-orientação, mesmo que externa à UA. Neste caso, o orientador responsável terá que ser da própria UA ou a ela associado, por exemplo via Unidades de Investigação desta instituição.

bibliografia recomendada

Arnal, J. et al, 1992, Investigación educativa: fundamentos y metodologías, Barcelona: Labor (CF-30-136).

Bardin, L., Análise de conteúdo, Lisboa: Edições 70, 1979 (trad.).

Bell, J., 1991, Doing your research project: a guide for first-time researchers in education and social science, Milton Keynes: Open University Press (trad. Gradiva) (CF-30- 100).

Bisquerra, Rafael, 1996, Metodos de investigacion educativa: guia practica, Barcelona: CEAC.

Bogdan, Robert & Biklen, Sari, 1994, Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos, Porto: Porto Editora. (trad.) (CF-IVLE-15).

Booth, W. C. et al, 1995, The craft of research, Chicago: The University Press. (001.8G.71).

Burnaford, G., Fischer, J. & Hobson, D. (eds), (1996), Teachers doing research: practical possibilities, London: Lawrence Erlbaum Associates.

Cochran, W. G. & Cox, G. M. (1957) Experimental Designs (2nd edition), New York: John Wiley & Sons.

Cohen, L. & Manion, L., 1994, Research methods in education, London: Routledge. Cordray, D. S. (1986) Quasi-experimental analysis: a mixture of methods and judgment. In Trochim (ed.) Advances in Quasi-Experimental Design and Analysis. New Directions for Program Evaluation, 31, San Francisco: Jossey-Bass, 9-27.

Cortes, J. (dir.) (1987) Une Introduction à la Recherche Scientifique enDidactique des Langues, Coll. Essais, Paris: CREDIF.

Coulon, Alain, Ethnométhodologie et éducation, Paris: Presses Universitaires de France. (CF-13-626).

Cronbach, L. J. (1990) Essentials of Psychological Testing (3rd edition), New York: Harper & Row.

Cronbach, L. J. & Gleser, G. C. (1953) Assessing similarity between profiles. The Psychological Bulletin, 50 (6), 456-473.

Cronbach, L. J. & Meehl, P. E. (1955) Construct validity in psychological tests. The Psychological Bulletin, 52 (4), 281-302.

Davey, L. (1991) The application of case study evaluations. ERIC Clearinghouse on Tests, Measurement, and Evaluation, Washington, DC: ED338706.

Donoahue, Z., Tassell, M. & Patterson, L. (eds), 1996, Research in the classroom. Talk, texts, and inquiry, Newark: International Reading Association (CF. 30. 177).

Eco, U., 1984, Como se faz uma tese em ciências humanas, Lisboa, Presença, 3a ed. (trad). (001.8G.27).

Edwards, A. & Lampert, M. (eds), 1993, Talking Data, New Jersey: Lawrence Erlbaum Associates (CF. 27.171).

Elliott, John, 1991, Action research for educational change, Keynes: Open University Press. (CF-30-104) (trad. em espanhol: CF-30-126).

Ghiglione, R. & Beauvois, J. L., 1980, Manuel d’analyse de contenu, Paris: Armand Colin.

Goetz, J., 1983, Etnography and qualitative design in educational research, Orlando: Academic Pres. (CF.30.62). (trad. em espanhol: CF-30-134).

Hammersley, M. (ed.), 1993, Controversies in classroom research, Buckingham: Open University Press. (CF-30-116).

Holly, M. L. (1991) Keeping a Personal-Professional Journal, 5th edition, Victoria: Deakin University.

Howell, D. C. (1982) Statistical Methods for Psychology. Boston, Mass.: Duxbury Press.

Huberman, A. M. & Miles, M., 1991, Analyse des données qualitatives: recueil de nouvelles méthodes, Bruxelles: De Boeck-Wesmael (trad.) (CF-30-137)

Huberman, M. & Thurler, M., 1991, De la recherche à la pratique: éléments de base, Berne: Peter Lang. (CF-30-121).

Kolodner, J. (1993) Case-Based Reasoning, San Mateo, CA: Morgan Kaufmann.

LaCompte, M. et al (eds), 1992, The handbook of qualitative research in education, San Diego: Academic Press. (CF.30.156).

Larson, H. J. (1982) Introduction to Probability Theory and Statistical Inference, New York, Wiley.

Lefèbvre, B. (1988) La recherche qualitative et l’analyse de contenu en sciences de l’éducation. In Estrela, A., Nóvoa, A., Rodrigues. A. Falcão, E. & Pinto, P. R. (eds.) La Méthodologie de la Recherche en Education, Actes du Colloque International de l’Association Internationale de Pédagogie Expérimentale de Langue Française, Lisboa: AIPELF, 79-88.

Lessard-Hèbert, M. et al, 1994, Investigação qualitativa: fundamentos e práticas, Lisboa: Instituto Piaget (trad.).

Mark, M. M. (1986) Validity typologies and the logic and practice of quasi- experimentation. In Trochim (ed.) Advances in Quasi-Experimental Design and Analysis. New Directions for Program Evaluation, 31, San Francisco: Jossey-Bass, 47-66.

Mason, J., 1996, Qualitative researching, London: Sage.

Maxwell, J. A., 1996, Qualitative research design: an interactive approach, Thousand Oaks: Sage.

McDonough, J. & McDonough, S., 1997, Research methods for english language teachers, London, Arnold.

McNiff, J. et al, 1996, You and your action research project, London: Routledge.

Miller, G. & Dingwall, R. (eds), 1997, Context and method in qualitative research, London: Sage.

Myers, J. L., (1972) Fundamentals of Experimental Design. Boston: Allyn and Bacon. Nunan, D., 1992, Research methods in language learning, Cambridge: C. Univ. Press. O’Hanlon, C. (ed.), 1997, Professional development through action research in educational settings, London: The Falmer Press.

Pardal, L. & Correira, E., 1995, Métodos e técnicas de investigação social, Porto, Areal.

Patterson, L. et al, Teachers are researchers: reflecion and action, Newark: International Reading Association. (CF. 30. 176).

Porkess, R. (1988) Dictionary of Statistics, London: Collins.

Reichardt, C. & Gollob, H. F. (1986) Satisfying the constraints of causal modeling. In Trochim (ed.) Advances in Quasi-Experimental Design and Analysis. New Directions for Program Evaluation, 31, San Francisco: Jossey-Bass, 91-107. Reswerber, Jean-Paul, 1995, La recherche-action, Paris: Presses Universitaires de France.

Rindskopf, D. (1986) New developments in selection modeling for quasi-experimentation. In Trochim (ed.) Advances in Quasi-Experimental Design and Analysis. New Directions for Program Evaluation, 31, San Francisco: Jossey- Bass, 79-98.

Sanger, J., 1996, The compleat observer? a field research guide to observation, London: The Falmer Press.

Shadish, W. R. Jr., Cook, T. & Houts, A. C. (1986) Quasi-experimentation in a critical multiplist mode. In Trochim (ed.) Advances in Quasi-Experimental Design and Analysis. New Directions for Program Evaluation, 31, San Francisco: Jossey- Bass, 29-46.

Shulman, J. (ed.) (1992) Case Methods in Teacher Education, New York, NY: Teachers College, University of Columbia.

Silverman, D. (ed), 1997, Qualitative research: theory, method and practice, London: Sage.

Silverman, D., 1994, Interpreting qualitative data: methods for analysing talk, text and interaction, London: Sage (CF-30-120).

Spiegel, M. R. (1994) Estatística, (3a edição), [Consentino, P. (trad.)], São Paulo: Makron Books.

Thompson, B. (1994) The concept of statistical significance testing. ERIC Clearinghouse on Assessment and Evaluation, Washington, DC: ED366654.

Tuckman, B. W. (1978) Conducting Educational Research, New York, Harcourt.

Tukey, J. W., (1977). Exploratory Data Analysis. Reading, MA: Addison-Wesley. Williams, D. D. (1986) When is naturalistic evaluation appropriate? In Trochim (ed.) Advances in Quasi-Experimental Design and Analysis. New Directions for Program Evaluation, 31, San Francisco: Jossey-Bass, 85-92.

Wittrock, M. (ed.), 1986, Handbook of research on teaching, New York: Macmillan, 3a ed. (CF-30-67).

Woods, P., 1995, La escuela por dentro: la etnografia en la investigacion educativa, Barcelona, Paides (trad.).

Wragg, E. C., 1994, An introduction to classroom observation, London: Routlege (CF.30.145).

Zuber-Skerritt, O. (ed.), 1996, New directions in action research, London: The Falmer Press.

Este sítio web utiliza cookies sem recolher informação pessoal que permita a identificação dos utilizadores. Ao navegar neste sítio está a consentir a sua utilização.saber mais
Para que esta página funcione corretamente deve ativar a execução de Javascript. Se tal não for possível, algumas funcionalidades poderão estar limitadas.