Antes da mobilidade » a saber



A Viagem:

› Planear » Planear
    Marque a viagem com antecedência para aproveitar as tarifas mais económicas e para garantir o seu lugar. Muitas tarifas económicas conseguem-se através da Internet, mas deve-se informar sobre todas as condições, não só do preço, mas sobretudo se são permitidas alterações, a validade, etc. Planeie a sua viagem de forma a chegar num dia de semana, de preferência para ter alguém à sua espera ou poder dirigir-se aos serviços de apoio na instituição de acolhimento. Viajar num fim-de-semana pode implicar que não tenha nenhum apoio, caso seja necessário. Pode adquirir um Cartão ISIC (International Student Identity Card), disponível para estudantes de toda a Europa, e obter descontos em transportes, alojamento, museus, espectáculos e muitas outras actividades. Informe-se junto de algumas agências de viagens ou junto da Caixa Geral de Depósitos.

    › De avião » De avião
      Ao adquirir um bilhete de avião, é estabelecido um contrato que lhe confere determinados direitos. Pode pedir uma cópia desse contrato à companhia aérea ou ao seu agente de viagens. A União Europeia criou um conjunto de direitos de forma a garantir que os passageiros aéreos sejam tratados de forma justa. A companhia aérea a operar o voo é responsável pelo transporte do passageiro e da respectiva bagagem. Se o voo for cancelado, se houver grandes atrasos ou extravio da sua bagagem, poderá ter direito a uma indemnização, nos termos da lei, e pode apresentar queixa ao respectivo órgão executivo. Preprare a sua viagem, verificando que leva os itens:
      • Bilhete de avião
      • Bilhete de Identidade ou Passaporte válidos
      • Carta de Aceitação da instituição de acolhimento
      • Uma lista do que transporta na sua bagagem, para o caso de extravio da mesma, e de ter de fazer uma reclamação
      • Uma declaração do seu médico e respectivas cópias da receita, caso leve consigo algum medicamento prescrito que esteja a tomar
      • O endereço, telefone e indicações de como chegar ao seu destino final
    › De carro » De carro
      De acordo com o princípio do reconhecimento mútuo, consagrado na legislação comunitária em vigor, se possui uma carta de condução emitida por um Estado-Membro da União Europeia, esta será válida em toda a União Europeia, para a classe de veículos para a qual foi emitida. Naturalmente, quando viaja de carro para um Estado-Membro da União Europeia, terá de seguir o código da estrada do país em causa. Os equipamentos e acessórios obrigatórios são os definidos pela legislação do Estado-membro em que o veículo está registado.
      Atenção aos limites máximos de velocidade, específicos, e ao nível máximo autorizado de álcool no sangue, que pode variar de Estado para Estado. Se for culpado de uma violação do código da estrada, no país onde se encontra, estará sujeito às mesmas sanções aplicadas aos nacionais do Estado-Membro em causa.
      O certificado de matrícula emitido para o seu veículo, em Portugal, permite a sua utilização em qualquer país da União Europeia. Mas se levar um veículo para outro Estado-membro que esteja registado no nome de outra pessoa, que não viaje consigo, tem de ser capaz de justificar estar na sua posse (ex. declaração assinada pelo proprietário, de cedência do veículo).
      O seu seguro automóvel garante automaticamente a cobertura mínima (responsabilidade civil) exigida por lei. Se possui um seguro contra todos os riscos, em Portugal, verifique se o mesmo cobre igualmente as viagens no estrangeiro. Informe-se, previamente, de como proceder em caso de acidente, junto da sua seguradora.
    › De comboio » De comboio
      A União Europeia possui uma rede ferroviária de 210 000 km, com serviços internacionais de transporte de passageiros. Existem 5 000 km de linhas de alta velocidade em diversos países, com comboios que chegam a atingir os 320 km/h, estando a rede a ser alargada com novas linhas na Alemanha, na Bélgica, em Espanha, em França, em Itália, nos Países Baixos e no Reino Unido.
      Sete operadores europeus de alta velocidade juntaram esforços a fim de facilitar as viagens de comboio pela Europa (http://www.railteam.co.uk).
      Consulte o website da CP – Caminhos de Portugal, para saber quais os serviços internacionais disponíveis.
    › Em segurança » Em segurança
      • Se possível, faça um Seguro sobre a sua bagagem, bens pessoais e dinheiro antes de viajar
      • Atenção à forma como guarda os seus bens pessoais e dinheiro. Nunca transporte uma grande quantidade de dinheiro consigo mas, se tiver de o fazer, não o guarde em bolsos externos de casacos, calças ou mochilas, nem o guarde todo junto.
      • Em momento algum deve deixar a sua bagagem sem vigilância, mesmo que seja por um curto período de tempo, nem em salas de espera. Se transportar equipamentos de valor, como câmaras de vídeo, máquinas fotográficas ou computadores, anote os números de série. Em caso de furto, será mais fácil dar queixa na polícia.
      • Atenção ao uso do telemóvel: não o utilize em áreas congestionadas ou quando se sentir inseguro; não chame a atenção sobre si, falando alto, numa língua estrangeira e gesticulando – nunca se sabe quem está a ouvir. Se telemóvel for roubado, informe de imediato a sua operadora a polícia.
      • Tome especial cuidado com o seu Bilhete de Identidade/Passaporte, bilhetes de transporte e outros documentos pessoais. Na emoção de chegar a novo país, pode muito facilmente distrair-se esquecer-se de coisas, sobretudo ao entrar e sair dos aviões, comboios ou autocarros.
    › Passaporte ou BI? » Passaporte ou BI?
      Para viajar para fora de Portugal, assegure-se de que possui um documento de identificação válido, Bilhete de Identidade (ou Cartão de Cidadão) ou Passaporte, pois este documento pode ser-lhe exigido para comprovar a sua identidade. Graças ao “Acordo de Schengen”, que faz parte do direito comunitário, entre 22 países da União Europeia já não existem controlos nas fronteiras: Alemanha, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Eslováquia, Eslovénia, Espanha, Estónia, Finlândia, França, Grécia, Hungria, Itália, Letónia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Países Baixos, Polónia, Portugal, República Checa e Suécia. Chipre, que aderiu à União Europeia em 2004, e a Bulgária e a Roménia, que aderiram em 2007, ainda não participam plenamente no Espaço Schengen, pelo que é mesmo necessário ter o Passaporte ou o B.I. válido, para as deslocações a esses países, assim como para a Irlanda e ao Reino Unido. Foram concluídos acordos com a Islândia, Liechtenstein, Noruega e Suíça que permitem, também, viajar para esses países mediante a apresentação do B.I ou o Passaporte.
      Se vai viajar para um país fora da União Europeia e fora dos países que têm acordos no âmbito do Espaço Schengen, deverá ter em sua posse não só o Passaporte como o respectivo Visto de Estudos. O visto é solicitado em Portugal, junto do consulado do país de destino, antes da viagem (é preciso solicitar o visto cerca de 4-6 semanas antes de viajar e terá um custo).

    Os Preparativos:

    › Saúde » Saúde
      Se estiver inscrito na Segurança Social em Portugal e vai viajar ou estudar da União Europeia, tem o direito a aceder, gratuitamente, aos serviços públicos de saúde nos estados membros. O documento comprovativo de que um cidadão goza deste direito chama-se “Cartão Europeu de Seguro de Doença”. É gratuito e deve ser pedido na Segurança Social, da sua área de residência, pelo menos dois meses antes de viajar. Este cartão deve ser apresentado ao prestador dos cuidados de saúde ou à instituição de segurança social do lugar de estadia, de forma a comprovar a inscrição do estudante no regime de segurança social em Portugal, permitindo, assim, invocar o direito a cuidados de saúde no Estado-Membro onde se encontra temporariamente. Para mais informações, consultar o site do Ministério da Saúde. Apenas os cuidados de saúde financiados pelo sector público estão incluídos neste regime e cada país tem as suas próprias regras em matéria de cuidados de saúde públicos.
      Atenção: a maior parte das Universidades estrangeiras exige a apresentação do CESD original no momento da inscrição, pelo que não deixe para a última a sua solicitação junto da Segurança Social, em Portugal, pois poderá ficar meses à espera do cartão.
    › Seguros » Seguros
      Pode ser útil fazer um seguro de viagem, visto serem poucos os países da UE que pagam integralmente as despesas de tratamento médico. O estudante que viaje para fora da União Europeia deve arranjar um seguro de saúde, alternativo ao Cartão Europeu de Seguro de Doença. Infelizmente a UA não poderá suportar essa despesa.
      Todos os estudantes devidamente inscritos na Universidade de Aveiro têm um seguro de acidentes pessoais para actividades académicas, que abrange os programas de mobilidade estudantil a realizar na instituição de acolhimento. No entanto, este seguro cobre exclusivamente o âmbito das actividades académicas, significando isto que todas as outras actividades de carácter pessoal, não serão abrangidas.
      Qualquer acidente na instituição de acolhimento, deve ser comunicado, por escrito, aos Serviços de Recursos Humanos e Financeiros – Área de Recursos Financeiros – Gabinete de Gestão de Seguros, no prazo máximo de 5 dias a contar da data de ocorrência. Contudo, qualquer acidente também deve ser comunicado o mais rapidamente possível (dentro de 24 horas) ao Gabinete de Relações Internacionais, incluindo elementos elucidativos do acidente e das suas consequências.
    › Dinheiro » Dinheiro
      Se o páis onde vai fazer Erasmus não usar o Euro, informe-se sobre a moeda oficial e o seu respetivo câmbio. Não se esqueça de que deve levar dinheiro para as primeiras despesas, tais como transportes, alojamento, alimentação, etc. No entanto, não deve levar consigo grandes quantias de dinheiro. Informe-se no seu banco sobre como proceder à abertura de uma conta no país de destino e de como efetuar transferências. Deve informar-se, ainda, sobre o procedimento a adotar em caso de furto ou perda dos seus cartões.

      • Faça uma estimativa do dinheiro que vai precisar para as primeiras despesas.
      • Não transporte grandes quantias de dinheiro consigo.
      • Verifique as normas do país de acolhimento sobre a entrada de quantias de dinheiro.
      • Prepare a abertura de conta no país de acolhimento.
      • Guarde os valores monetários, bem como documentos importantes, em local seguro.
      • No país de acolhimento, tenha atenção aos talões de levantamento bancários.
      • Se mudar de alojamento, não se esqueça de informar o seu banco sobre a nova morada.

    última atualização a 15-05-2015
    Este sítio web utiliza cookies sem recolher informação pessoal que permita a identificação dos utilizadores. Ao navegar neste sítio está a consentir a sua utilização.saber mais
    Para que esta página funcione corretamente deve ativar a execução de Javascript. Se tal não for possível, algumas funcionalidades poderão estar limitadas.