primeiros passos



Inscrição na instituição de acolhimento

Compete aos serviços de apoio ao aluno internacional/ERASMUS, da instituição de acolhimento, informá-lo de como proceder à sua inscrição nas disciplinas constantes do seu plano de estudos. É provável que lhe seja solicitado um conjunto de documentos, que deverá apresentar (por ex: fotos tipo-passe, documento de identificação, CESD, “Carta de Aceitação” da instituição de acolhimento, declaração de seleção para o programa de mobilidade, etc.).


O estudante deve ficar na posse de uma cópia do registo de matrícula. Atenção: esta inscrição é obrigatória e deverá cumprir rigorosamente as instruções e os prazos que lhe forem indicados.


Os serviços devem, ainda, informá-lo sobre outras questões, tais como alojamento, sessão de boas-vindas e Orientação, cartão de estudante (e/ou de Biblioteca, de alimentação, etc.), dados para acesso à internet na universidade, curso de línguas (se aplicável), e, muito importante, sobre quem será o seu Coordenador ERASMUS na instituição de acolhimento, que será responsável pelo seu plano de estudos.


 

Declaração de presença


Será, ainda, nos serviços de apoio ao aluno internacional/ ERASMUS que deverá solicitar a assinatura e carimbo da sua “Declaração de Presença” (Certificate of Arrival), documento que lhe será enviado pelo Gabinete de Relações Internacionais da UA, antes de iniciar o seu período de estudos. Esta declaração é a confirmação da sua estada na Universidade de acolhimento e o seu devido preenchimento, assinatura e reenvio ao GRI é obrigatório. Sem a receção deste documento devidamente validado, o aluno não poderá receber a Bolsa ERASMUS, caso lhe tenha sido atribuída. 


Registo obrigatório nos Serviços de Estrangeiros ou na Polícia


A legislação comunitária em vigor determina que todos os cidadãos que permaneçam noutro Estado-Membro por mais de três meses, têm a obrigação de se registar, solicitando uma autorização de residência, seja junto dos serviços encarregues de regular a entrada de estrangeiros no país, seja na polícia. Informe-se na instituição de acolhimento sobre qual o procedimento a seguir para efectuar este registo, e onde se deve dirigir.


Outras informações a ter em conta

Após a chegada ao país de acolhimento, informe-se sobre o funcionamento dos serviços hospitalares na sua zona de residência, bem como os serviços de saúde públicos e os serviços disponíveis na instituição de acolhimento. Em caso de dificuldade, não hesite em procurar ajuda junto dos serviços de apoio a estudante, associações civis de apoio a cidadãos etc., bem como os próprios estabelecimentos de cuidados de saúde.

Durante o período de estudos, o aluno pode recorrer aos serviços de apoio ao estudante internacional/ERASMUS e ao seu Coordenador académico, da instituição de acolhimento, caso surja algum problema, seja com o plano de estudos, com o alojamento, com os seus bens pessoais (ex. em caso de furto), etc. Os serviços podem ainda orientá-lo para outros apoios, que respondam a necessidades de nível psicológico, clínico e social, como para associações de estudantes, serviços médicos e outros.

Em caso de furto dos seus documentos de identificação, deve contactar, de imediato, o posto consular português mais próximo. Existe uma lista completa de postos consulares em: http://www.secomunidades.pt/web/guest/PostosConsulares. É aconselhável deixar uma fotocópia do seu Cartão do Cidadão ou Passaporte (e Visto de Estudos, caso tenha um) com familiares aqui em Portugal. Assim, terá fácil acesso aos dados do documento para poder apresentar num eventual caso de perda de documentos ao Consulado.

Adaptação a uma nova Cultura

A mudança para um país e uma cultura diferentes pode produzir efeitos inesperados. Se, inicialmente, todos os estudantes experienciam uma fase de euforia, pela aventura que estão prestes a viver, assim que a rotina do dia-a-dia se instalar, no país de acolhimento, a experiência pode tornar-se avassaladora.

O choque cultural pode não ser facilmente ultrapassado, como se supunha, e começar a surgir um sentimento de rejeição. Tente controlar as suas expectativas. Evite fazer comparações entre os costumes do país de acolhimento e o seu país de origem, pois se o fizer vai acabar por encontrar “defeitos”. A falta de determinados elementos de referência da cultura de origem (tipo de acolhimento, alimentação, proximidade instituição/aluno, etc.) na cultura estrangeira, podem originar frustração, que se não for controlada, pode corromper toda a experiência no país de acolhimento.

Tente ajustar-se à nova realidade, procurando usufruir de todas as “diferenças” como uma experiência enriquecedora. Não aponte a diversidade como uma falha, tente antes vê-la sob uma nova perspectiva, que contribuirá para compreender a sua própria cultura. Prepare-se, pois após esta experiência, nunca mais verá o seu país de origem com os mesmos olhos.

Em segurança…

Durante a estada no país de acolhimento, deve observar, pelo menos, as mesmas regras de segurança que teria se estivesse no seu país de origem, ou seguir atentamente as recomendações das autoridades locais, caso as haja. Não se esqueça de que a sua segurança e a dos seus bens pessoais será inteiramente da sua responsabilidade.

Aqui ficam algumas recomendações:

 - evite andar sozinho à noite, mas se tiver de o fazer, use o seu senso comum e não se coloque em risco: evite atalhos, não caminhe por lugares desertos (parques, ruas mal iluminadas, lugares que conhece pouco, etc.), procure ruas movimentadas e iluminadas, que mantenham serviços abertos (cafés, bombas de gasolina, tabacarias, etc.);

- nunca transporte grandes quantias de dinheiro consigo e tente evitar levantar dinheiro em caixas automáticas, à noite (se tiver de o fazer, vá acompanhado por um amigo, por exemplo); - tenha sempre saldo no seu telemóvel ou tenha sempre moedas suficientes para efectuar uma chamada telefónica, caso seja necessário (por exemplo, para chamar um táxi);

- nunca guarde as chaves de casa na mala ou numa mochila, e sim num bolso (das calças, do casaco, etc.); se a mala/mochila for roubada, ainda poderá entrar em casa; - se viajar de comboio ou metro, não se sente numa carruagem vazia; 

- procure antes sentar-se junto de grupos de pessoas, uma zona bem iluminada; - se tiver um computador portátil não utilize o estojo para o transportar – opte antes por uma forma de transporte menos óbvia, como uma mochila, e verifique bem as condições de segurança, antes de o utilizar em lugares públicos;

- para se manter seguro e alerta, tenha atenção ao uso de aparelhos de música portáteis e ao uso do telemóvel, principalmente para longas chamadas; pessoas distraídas tornam-se alvos mais fáceis para ladrões e são mais sujeitas a acidentes.
última atualização a 15-05-2015
Este sítio web utiliza cookies sem recolher informação pessoal que permita a identificação dos utilizadores. Ao navegar neste sítio está a consentir a sua utilização.saber mais
Para que esta página funcione corretamente deve ativar a execução de Javascript. Se tal não for possível, algumas funcionalidades poderão estar limitadas.