Antes da mobilidade » a tratar



Aprender a língua

Aprender a língua

A preparação linguística é um factor muito importante uma vez que pode representar um obstáculo à aprendizagem dentro da sala de aula e à comunicação com as pessoas do país de acolhimento bem como a sua cultura, desporto, comunicação social, etc.

Com vista a estimular a aquisição de competências linguísticas e enfrentar as dificuldades que este aspecto pode apresentar, a Comissão Europeia contratou um serviço de apoio linguístico online, a OLS – Online Linguistic Support.


Este serviço destina-se a participantes no Programa Erasmus+, que utilizem as línguas Inglês, Francês, Alemão, Italiano, Espanhol ou Holandês como a língua principal de estudo. A partir do ano académico 2016/2017, seis línguas adicionais estarão disponíveis na OLS: Checo, Dinamarquês, Grego, Polaco, Sueco e Português.
 
A Online Linguistic Support consiste no seguinte:
1.  Teste Inicial de Avaliação (Teste 1) de avaliação da competência linguística do estudante - antes do início da mobilidade
2.  Curso de Língua - durante a mobilidade
3.  Teste Final de Avaliação (Teste 2) de avaliação da competência linguística do estudante - no fim da mobilidade

A utilização da OLS não tem quaisquer custos para os estudantes participantes, mas a avaliação da competência linguística é obrigatória contratualmente. 


Aprender a língua » na Instituição de Acolhimento


Algumas instituições de acolhimento implementam uma política de apoio linguístico gratuito, na língua do país de destino, a estudantes estrangeiros. A duração e datas destes cursos são divulgadas pelas instituições. Os cursos podem ter lugar ou antes do início do período lectivo normal, pelo que o estudante terá de se deslocar ao estrangeiro com a devida antecedência para os poder frequentar, ou ao longo do semestre lectivo. É da responsabilidade do estudante efectuar a sua candidatura ao apoio linguístico na instituição de acolhimento, respeitando o procedimento de candidatura e preenchendo os documentos necessários.


Aprender a língua » exigência de proficiência em língua inglesa


Em algumas instituições de acolhimento, as aulas serão leccionadas em língua inglesa, pelo que poderá haver a exigência de comprovação, por parte do estudante candidato, de proficiência na língua, através da apresentação de um certificado internacional. Este tipo de certificados é atribuído por entidades reconhecidas na organização de exames linguísticos, de nível internacional (ex. TOEFL, IELTS, Cambridge, etc.). Caberá ao estudante seleccionado cumprir a exigência da instituição de acolhimento e apresentar o respectivo certificado. A realização do exame necessário fica a cargo do próprio estudante, não podendo a UA suportar qualquer custo nesse sentido. O Departamento de Línguas e Culturas da UA organiza cursos de preparação para o exame IELTS, pelo que deve informar-se sobre a sua organização e datas. Nos casos em que um certificado internacional é exigido, não serão aceites outro tipo de documentos sobre as competências linguísticas do aluno, tais como declarações da parte de docentes, de estabelecimentos de ensino particular ou secundário, etc. Os alunos seleccionados que não apresentem o certificado internacional exigido não poderão submeter a sua candidatura ERASMUS.


Aprender a língua » Certificados de nível

O Departamento de Línguas e Culturas da UA organiza cursos de livres de línguas, de 60 horas letivas, com base no Quadro Europeu Comum de Referência (QECR). No final do curso, e em caso de aproveitamento, será emitido um certificado de nível de língua, válido em qualquer país da União Europeia, pelo que poderá ser utilizado na candidatura Erasmus à instituição de acolhimento (Atenção: não é equiparável a um certificado internacional: TOEFL, IELTS, Cambridge, etc.). A participação nos cursos livres fica a cargo do próprio estudante, não podendo a UA suportar qualquer custo nesse sentido. Mediante a realização de provas, o Departamento de Línguas e Culturas da UA oferece a possibilidade de obter um certificado de competência linguística, no âmbito do Quadro Europeu Comum de Referência (QECR). Trata-se uma declaração com a chancela do Departamento de Línguas e Culturas da Universidade de Aveiro que poderá ser apresentada em diversas instâncias académicas e profissionais, incluindo a candidatura Erasmus à instituição de acolhimento, nos casos em que é exigido um certificado de proficiência não internacional.

Alojamento

Alojamento » candidatura

Cabe ao aluno dialogar directamente com a instituição de acolhimento a fim de efectuar a sua candidatura ao alojamento. Geralmente o estudante tem acesso, através do website, a um pacote de informações sobre as condições do alojamento disponível, bem como às fichas de candidatura, que deverá preencher e enviar.


Alojamento » no sector privado

Se optar por procurar alojamento no sector privado, não assine qualquer contrato sem saber todas as regras que o mesmo implica. Aqui ficam algumas dicas para o ajudar a encontrar um alojamento seguro, no sector privado: 

• Pergunte no Gabinete de Relações Internacionais/Serviços de Apoio ao Estudante Internacional da instituição de acolhimento se têm alguma lista de locais para alugar, que possam estar devidamente vistoriados e aprovados pela instituição. 

• Procure saber todas as condições antes de visitar o local escolhido: despesas, serviços, distâncias, tipo de partilha, etc. 
• Se possível, leve alguém consigo quando for ver o local de alojamento.
• Se, de alguma forma, não se sentir à vontade com a pessoa que lhe mostra o alojamento, deve referir que a instituição de acolhimento ou amigos seus sabem onde se encontra e que estão à sua espera, numa determinada hora. 
• Verifique se o alojamento que vai ver se encontra numa área segura, antes de decidir se fica ou não com a vaga.

Todos os estudantes devidamente inscritos na Universidade de Aveiro têm um seguro de acidentes pessoais para actividades académicas, que abrange os programas de mobilidade estudantil a realizar na instituição de acolhimento. No entanto, este seguro cobre exclusivamente o âmbito das actividades académicas, significando isto que todas as outras actividades de carácter pessoal, não serão abrangidas.

Qualquer acidente na instituição de acolhimento, deve ser comunicado, por escrito, aos Serviços de Recursos Humanos e Financeiros – Área de Recursos Financeiros – Gabinete de Gestão de Seguros, no prazo máximo de 5 dias a contar da data de ocorrência. Contudo, qualquer acidente também deve ser comunicado o mais rapidamente possível (dentro de 24 horas) ao Gabinete de Relações Internacionais, incluindo elementos elucidativos do acidente e das suas consequências.


Alojamento » nas residências universitárias

Se optar pelo alojamento nas Residências Universitárias, certifique-se de algumas condições para não ter surpresas. Procure obter o máximo de informação sobre o lugar onde será acolhido, colocando questões que lhe possam esclarecer quais são as condições oferecidas, tais como: se o quarto é individual, se tem casa de banho interior, quais as despesas incluídas e não incluídas na mensalidade, se tem cozinha, se há lavandaria na residência (ou perto), se a residência fica perto da Universidade ou se necessitará de usar um transporte público, se tem acesso à Internet, etc. Nem todos os estudantes serão alojados em Residências Universitárias, seja por falta de vagas, seja porque a instituição não dispõem das mesmas, seja porque não tem como política o alojamento de estudantes estrangeiros. Embora a instituição de acolhimento não tenha obrigação de oferecer alojamento a todos os estudantes estrangeiros ERASMUS, tem obrigação de os auxiliar na procura de um lugar para ficar. Atenção: muitas instituições exigem a assinatura de um contrato de alojamento, que garante ao aluno a acomodação por um certo período de tempo, mas que também o obriga a cumprir as disposições do mesmo, normalmente regras de conduta e de utilização dos serviços. Estes contratos podem, também, estipular cláusulas de incumprimento, que podem ser accionadas e levar à perda do depósito de caução inicial. Este depósito normalmente ocorre por transferência bancária, antes do início do período de mobilidade, e serve como garantia de ocupação da vaga reservada para o estudante. Leia, cuidadosamente, as cláusulas do contrato de alojamento e pondere as consequências, em caso de incumprimento, antes de o assinar.


Alojamento » temporário


Encontrar alojamento é da responsabilidade do aluno, pelo que deve pensar num lugar para ficar, antes de ir, mesmo que seja uma situação provisória, e, principalmente, se for viajar para uma cidade onde habitualmente é difícil arranjar alojamento. Pode, por exemplo, procurar informação sobre pousadas da juventude, albergues, etc. Pode, ainda, solicitar ao Gabinete de Relações Internacionais da Universidade de Aveiro o contacto de colegas que tenham participado no Programa ERASMUS recentemente, na cidade e Universidade, para a qual irá estudar, para obter mais informações.

 

Inscrição e propinas

na UA » inscrições


Não se esqueça de se inscrever normalmente nos Serviços de Registos Académicos (através do PACO, por exemplo), nos períodos indicados para o efeito. As unidades curriculares em que se inscreve devem incluir todas as unidades curriculares constantes do seu Contrato Pedagógico. Se não se inscrever nestas disciplinas, não será possível lançar as suas notas (equivalências) no final da sua estadia. Se tiver dúvidas, não hesite em contactar os Serviços de Registos Académicos ou o seu Coordenador Erasmus.

 

na UA » pagamento de propinas


Embora não pague propinas na instituição de acolhimento ao abrigo do programa ERASMUS, não deixa de ser obrigado a pagar as propinas na Universidade de Aveiro, de acordo com as normas em vigor.  Atenção: os estudantes que não efectuem o devido pagamento de propinas não poderão receber Bolsa Erasmus, mesmo que constem da lista de alunos elegíveis para o efeito.

 

última atualização a 23-03-2016
Este sítio web utiliza cookies sem recolher informação pessoal que permita a identificação dos utilizadores. Ao navegar neste sítio está a consentir a sua utilização.saber mais
Para que esta página funcione corretamente deve ativar a execução de Javascript. Se tal não for possível, algumas funcionalidades poderão estar limitadas.