curso > terapia da fala


apresentação



A expressão Terapia da Fala é usada em Portugal para designar a profissão de saúde centrada na prevenção, avaliação, intervenção, gestão e estudo científico das perturbações da comunicação humana e da deglutição. Neste contexto, a comunicação humana compreende todos os processos e funções associadas à produção de fala e à compreensão e expressão da linguagem oral e escrita, assim como, formas de comunicação não verbal (IALP, 2010).

Apesar de existirem notas históricas desde a antiguidade de intervenção na área da fala e da comunicação de um modo geral foi no início do século XX que aparecem de modo sistemático textos científicos sobre esta área e se iniciam as primeiras organizações de profissionais. Em 1962 teve início em Portugal o curso de terapia da fala, só integrado no sistema de ensino superior em 1994.

Atualmente, o Terapeuta da Fala intervém com crianças, jovens, adultos e idosos que apresentem perturbações da comunicação e da deglutição, podendo trabalhar em diversos contextos (e.g., jardins de infância, escolas, hospitais, centros de saúde, lares de idosos, clínicas privadas, domicílios, unidades de investigação). O trabalho é realizado, sempre que possível, em equipa com outros profissionais, nomeadamente, médicos, fisioterapeutas, psicólogos e professores.     

Na Escola Superior de Saúde da Universidade de Aveiro, formamos terapeutas da fala competentes, na vertente humana e técnica, cuja preocupação é realizar uma intervenção holística de forma a contribuir para a melhoria da qualidade de vida do utente.

As instalações e equipamentos inovadores de que dispomos bem como a rede de colaborações nacionais e internacionais possibilitam o ensino e a investigação de qualidade. 


consultar plano de estudos

última atualização a 16-07-2013
Este sítio web utiliza cookies sem recolher informação pessoal que permita a identificação dos utilizadores. Ao navegar neste sítio está a consentir a sua utilização.saber mais
Para que esta página funcione corretamente deve ativar a execução de Javascript. Se tal não for possível, algumas funcionalidades poderão estar limitadas.