história do departamento de física


fis_ua_035


O Departamento de Física (DF) foi dos primeiros Departamentos a ser criados na Universidade de Aveiro. Ofereceu como primeira formação o Bacharelato em Física e Química (ensino), em colaboração com o Departamento de Química, do qual resultou em 1978 a licenciatura em Ensino de Física e Química (LEFQ), na área de formação de professores. Em 1981 foi criada a licenciatura em Física (LF), com dois ramos (Física de Materiais e Física da Atmosfera). O ramo de Física da Atmosfera viria a evoluir, dando origem primeiro a um ramo de Meteorologia e Oceanografia, e posteriormente, em 2003, a uma licenciatura independente em Meteorologia e Oceanografia Física. Um marco importante para o ensino de Física em Portugal foi a introdução em várias universidades portuguesas de cursos de Engenharia Física, o que levou o DF a criar a sua licenciatura em Engenharia Física (LEF) em 1990.

Na sequência de anos de grande crescimento da UA foi criado em 1990 o Mestrado em Física Aplicada, e em 2000/1 os mestrados na área de formação de professores em Física e Química e em Física. Saliente-se também a colaboração no Mestrado em Ciências das Zonas Costeiras e do Mar criado em 1991, que foi o primeiro desta natureza em Portugal.

No âmbito da reformulação do Ensino Superior nacional decorrente da implementação da Declaração de Bolonha, em 2006/07 foram adequadas as licenciaturas em Física e Engenharia Física aos novos pressupostos de Bolonha, e a formação oferecida em Meteorologia e Oceanografia Física foi adequada à atual licenciatura em Meteorologia, Oceanografia e Geofísica (LMOG), lecionada com a colaboração do Departamento de Geociências. Nesta ocasião foi também criada pela primeira vez em Universidades portuguesas a licenciatura em Ciências do Mar (LCM). Trata-se de uma licenciatura de caráter multidisciplinar lecionada em colaboração com os Departamentos de Química, Geociências, Biologia e Ambiente e Ordenamento. Ainda neste âmbito foram também criados em 2006/07 os Mestrados em Física (adequado da oferta existente) e em Meteorologia e Oceanografia Física, com o objetivo se constituírem o ciclo de estudos de continuidade para os licenciados em Física e em Meteorologia, Oceanografia e Geofísica. O DF participou ainda ativamente na readequação do anterior mestrado pluridisciplinar em Ciências das Zonas Costeiras e do Mar ao novo mestrado em Ciências do Mar e das Zonas Costeiras, concebido para constituir o ciclo de estudos de continuidade para a licenciatura em Ciências do Mar. A continuidade natural para os licenciados em Engenharia Física seria o Mestrado em Engenharia Física, adequado também aos pressupostos do Processo de Bolonha. Em 2009, e seguindo uma tendência geral nas universidades portuguesas, procedeu-se a uma nova adequação da formação em Engenharia Física, através da criação do Mestrado Integrado em Engenharia Física (MIEF). Este curso foi distinguido em 2013 com a Marca de Qualidade EUR-ACE (European Accredited Engineering Masters) atribuída conjuntamente pela Ordem dos Engenheiros e ENAEE (European Network for Accreditation of Engineering Education).

Paralelamente, em estreita ligação com atividades de investigação, o DF sempre teve atividades de formação a nível de doutoramento, tendo o primeiro doutoramento em Física pela UA sido outorgado em 1986. Atualmente o Departamento de Física oferece os programas doutorais MAP-FIS, em Engenharia Física e em História das Ciências e Educação Científica, colaborando nos programas doutorais em Nanociências e Nanotecnologias, Ciência, Tecnologia e Gestão do Mar, e em Marine and Coastal Management (este último Erasmus Mundus).

Algumas das ofertas formativas referidas, nomeadamente ao nível de mestrados e programas doutorais, resultaram de colaborações intra e/ou interinstitucionais, reveladoras da capacidade do DF integrar, e em alguns casos liderar, projetos formativos de elevado nível com responsabilidades de docência repartidas.

De salientar que o DF tem ainda participado noutros projetos de ensino. Estes resultam em geral da estrutura matricial da Universidade de Aveiro, e da colaboração com os demais departamentos, mas podem também surgir em função dos interesses estratégicos da própria universidade. Neste âmbito o DF mantém desde a sua fundação uma importante vertente de “prestação de serviços” de ensino na UA, contribuindo na lecionação de unidades curriculares da área científica da Física em diversas graduações adstritas a outras unidades orgânicas (nomeadamente ao nível dos primeiros anos dos ciclos de estudos em ciências e engenharias), e também com aulas/seminários em outras instituições universitárias.







última atualização a 06-07-2015
Este sítio web utiliza cookies sem recolher informação pessoal que permita a identificação dos utilizadores. Ao navegar neste sítio está a consentir a sua utilização.saber mais
Para que esta página funcione corretamente deve ativar a execução de Javascript. Se tal não for possível, algumas funcionalidades poderão estar limitadas.