história

Quando se constituiu a Universidade de Aveiro em meados da década de 70, foram seleccionadas áreas prioritárias a desenvolver, entre as quais se contavam as Ciências da Natureza e do Ambiente. O Grupo Interdisciplinar de Estudos de Ambiente (Física, Química, Biologia e Geologia) lançou o ensino nestas áreas e criou o núcleo de Economia Mineral e Recursos Minerais, tendo como objectivo prioritário, então, a investigação da Bacia do Vouga. Foram seleccionados como domínios merecedores de particular atenção a Geoeconomia (que abarcaria Geoquímica, Geofísica e Recursos Minerais), a Geologia Marinha e a Sedimentologia de depósitos recentes. O desenvolvimento da área de Geologia (ensino e investigação) veio nos finais da década de 70 a traduzir-se, de acordo com o modelo organizativo da Universidade, na criação do Departamento de Geociências, o primeiro em Portugal com um contexto integrador das várias áreas ligadas às Ciências da Terra, incluindo as Ciências de Engenharia e as Ciências Geofísicas.

No campo das actividades de formação os primeiros marcos significativos correspondem ao início do funcionamento das licenciaturas em Ensino de Biologia e Geologia e em Engenharia Geológica, em 1978/79 e 1980/81, respectivamente. O Mestrado em Geoquímica, criado em 1981, constituiu o arranque dos cursos de pós-graduação, cuja expansão se deu na década de 90, com a criação do mestrado em Minerais e Rochas Industriais (1994) e a participação nos mestrados em Ciências das Zonas Costeiras e do Mar (criado em 1989) e em Ensino de Biologia e Geologia (criado em 1996).

Com o Processo de Bolonha ocorreram transformações significativas nos cursos leccionados na UA. Assim, a partir de 2006/2007, a formação em Engenharia Geológica passou a constar de dois ciclos, correspondendo o primeiro a uma licenciatura de três anos e o segundo a um mestrado de dois anos. Por seu turno, o antigo curso em Ensino de Biologia e Geologia foi substituído por uma nova licenciatura (com três anos de duração) em Biologia e Geologia, a qual tanto pode permitir o acesso a um segundo ciclo destinado a formação de professores, como proporcionar saídas para carreiras técnicas e de investigação ou o acesso a mestrados de cariz científico. Para além disto, foi criado um menor em Geologia na licenciatura em Biologia e surgiram dois novos cursos - Ciências do Mar e Meteorologia Oceanografia e Geofísica - com componentes significativas de geociências.

Ao nível dos mestrados, para além da já referida criação do mestrado em Engenharia Geológica,  o Departamento de Geociências da UA propôs, em conjunto com o Departamento de Geologia da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, o lançamento de um mestrado em Geomateriais e Recursos Geológicos, cuja actividade se iniciou em 2007/2008. O Departamento de Geociências interveio também na transformação do antigo mestrado em Ciências das Zonas Costeiras e do Mar no novo mestrado em Ciências do Mar e das Zonas Costeiras.

A formação ao nível de doutoramento também tem sido uma preocupação constante do Departamento de Geociências da UA, o qual é presentemente co-responsável pelo Programa Doutoral em Geociências, em conjunto com a Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, cuja actividade se iniciou em em 2007/2008, e pelo Programa Doutoral em Geotecnologias, em conjunto com a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra, a iniciar-se em 2010/2011.

Para além das formações em que as Ciências da Terra têm um peso importante, o Departamento de Geociências tem colaborado ainda na leccionação de outros cursos da UA, nomeadamente as licenciaturas em Biologia, Engenharia do Ambiente, Engenharia Civil e Engenharia Física, e o mestrado em em Ensino de Biologia e Geologia.

As actividades de pesquisa científica do Departamento de Geociências têm sido realizadas, desde os anos 90, no âmbito de unidades de investigação reconhecidas e financiadas pela FCT. Inicialmente, formaram-se três unidades sediadas no Departamento, mas, após um processo de fusão ocorrido em 1998, passaram, desde então, a existir somente duas: ELMAS (Evolução Litosférica e do Meio Ambiental de Superfície) e MIA (Minerais Industriais e Argilas). Mais recentemente (2009), essas duas unidades acabaram por se unir, dando origem à unidade GEOBIOTEC (Geobiociências, Geotecnologias e Geo-engenharias). Há também membros do Departamento integrados num laboratório associado, de cariz marcadamente interdisciplinar, o CESAM (Centro de Estudos do Ambiente e do Mar).

Este sítio web utiliza cookies sem recolher informação pessoal que permita a identificação dos utilizadores. Ao navegar neste sítio está a consentir a sua utilização.saber mais
Para que esta página funcione corretamente deve ativar a execução de Javascript. Se tal não for possível, algumas funcionalidades poderão estar limitadas.