Nos últimos anos, o sistema de ensino superior tem sofrido um conjunto de alterações com implicações profundas no seu funcionamento. A implementação do Processo de Bolonha, a aprovação do Regime Jurídico das Instituições de Ensino Superior (RJIES Lei nº 62/2007) e do Regime Jurídico da Avaliação do Ensino Superior (Lei nº 38/2007) e a criação da Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior (Decreto-Lei nº 369/2007) trouxeram mudanças significativas no funcionamento das instituições de ensino superior.

A ideia da necessidade de reforçar os mecanismos de garantia da qualidade e de desenvolver um sistema interno de garantia da qualidade que tenha como objeto as três dimensões da missão institucional – o Ensino, a Investigação e a Cooperação, ganhou força na sequência do último processo de avaliação institucional, pela European University Association, a que a UA se submeteu em 2007.

A partir desse momento, ficou também claro para a UA que a esses três vetores de missão se deveria juntar um quarto, transversal, relacionado com a garantia da qualidade da gestão, abrangendo de forma sistémica todas as atividades desenvolvidas pela instituição. 

É neste contexto que surge o Gabinete de Planeamento Estratégico (GPE), enquanto estrutura de apoio à Reitoria, na sua dupla função de dimensionamento do modelo de referência para a qualidade na UA e de apoio ao planeamento estratégico. 


Este sítio web utiliza cookies sem recolher informação pessoal que permita a identificação dos utilizadores. Ao navegar neste sítio está a consentir a sua utilização.saber mais
Para que esta página funcione corretamente deve ativar a execução de Javascript. Se tal não for possível, algumas funcionalidades poderão estar limitadas.