Mobilidade ERASMUS para Pessoal

Objetivos
Esta ação permite ao pessoal docente e outro pessoal de instituições de ensino superior a realização de um período de formação de 5 dias a 6 semanas numa empresa ou organização como por exemplo uma IES situada num país participante. Os objetivos desta mobilidade destinada à formação de pessoal são:

- Permitir ao pessoal de instituições de ensino superior a aquisição de conhecimentos ou saberes especializados a partir de experiências e boas práticas no estrangeiro bem como de competências práticas relevantes para o desempenho das suas funções e para o seu desenvolvimento profissional;
- Ajudar a construir a cooperação entre instituições de ensino superior e empresas. A estadia na empresa, organização ou instituição parceira pode designar-se através de vários nomes: destacamento de curta duração, “Job Shadowing”, visita de estudo, etc.

Os membros do pessoal são selecionados pela instituição de ensino superior de origem. O pessoal deverá propor à sua instituição um plano de trabalho aprovado pela instituição de acolhimento. Do plano deverá constar, pelo menos: a finalidade e objetivos globais, resultados que se esperam das atividades de formação ou aprendizagem planeadas e a agenda para o período de mobilidade.

Regras específicas
- Como condição mínima ou o país de origem ou o país de acolhimento deverá ser um Estado Membro da UE;
- São permitidas estadias inferiores a 5 dias em casos excecionais se a ausência de pessoal de nível elevado durante este período mínimo venha a causar dificuldades;
- A formação em línguas e a assistência a conferências, seminários e Workshops não deverá constituir a maior parte do número total dos dias da formação.

Instituições de acolhimento
A Universidade de Aveiro acolhe candidaturas a todas as Universidades Europeias (detentores da EUC), com especial relevo para as Universidades do Consórcio ECIU.

Valor de apoio financeiro concedido ao candidatos: decarregar tabela de valores

Formulário de candidatura: descarregar
Nota: compete ao próprio candidato garantir a autorização do seu superior hierárquico para a realização da formação. Compete ainda ao próprio candidato contactar a entidade de acolhimento e desenvolver o plano de trabalhos.

Plano de trabalho: descarregar (enviar ao GRI antes do ínício da mobilidade)

Seleção de candidatos:
A seleção de candidatos é da responsibilidade do Coordenador Institucional ERASMUS e tem como critérios, cumulativamente:

-Elegibilidade da formação proposta;
-Relevância da formação para o candidato;
-Relevância da formação para a unidade/serviço em que o candidato se insere;
-Contributo da mobilidade para as relações entre a UA e a entidade de acolhimento.

Mais informações em: http://ec.europa.eu/education/erasmus/doc898_en.htm

última atualização a 08-04-2015
Este sítio web utiliza cookies sem recolher informação pessoal que permita a identificação dos utilizadores. Ao navegar neste sítio está a consentir a sua utilização.saber mais
Para que esta página funcione corretamente deve ativar a execução de Javascript. Se tal não for possível, algumas funcionalidades poderão estar limitadas.