Com mais de 200 artigos científicos publicados, particularmente nas áreas de Biologia e Fisiologia Celular, Bioquímica e Neurobiologia, a Arsélio Pato de Carvalho são reconhecidas contribuições significativas para o desenvolvimento da Neurociência em Portugal, particularmente na investigação sobre o papel do cálcio intracelular como regulador da neurossecreção, na defesa da liberdade plena dos estudantes de licenciatura na construção do percurso formativo dentro das várias subáreas das Ciências da Vida e na organização inovadora do ensino pós-graduado, sobretudo ao nível de doutoramento, sob a forma de cursos avançados, curtos e intensivos.

O professor catedrático jubilado do Departamento de Ciências da Vida da Universidade de Coimbra, fundador e diretor honorário do Centro de Neurociências e Biologia Celular de Coimbra, Provedor do Bolseiro de Investigação (2012-2016), membro da Academia de Ciências de Lisboa (desde 1992 e efetivo desde 2005), membro do Conselho Nacional de Educação (desde 2005) e sócio honorário da Sociedade Portuguesa de Bioquímica e da Sociedade Portuguesa de Neurociências é, também, fundador e diretor do Instituto de Educação e Cidadania da Mamarrosa, freguesia do concelho de Oliveira do Bairro, onde Arsélio Pato de Carvalho nasceu a 1 de agosto de 1934.

Aos 16 anos foi para os Estados Unidos da América, tendo na Universidade de Berkeley se licenciado em Bioquímica (1958) e doutorado em Fisiologia Celular (1963). Foi também investigador no Institute of Muscle Disease, em Nova Iorque, (1963-1973) e docente no Departamento de Biologia da Universidade de Columbia (1964-1970).

De regresso a Portugal, em 1970, Arsélio Pato foi nomeado Professor e Diretor do Departamento de Zoologia da Universidade de Coimbra. Nesta mesma universidade liderou, em 1982, a criação da primeira licenciatura em Bioquímica e do primeiro Departamento de Bioquímica do país. Em 1990 fundou o Centro de Neurociências e Biologia Celular de Coimbra, que dirigiu durante 12 anos, tendo criado um programa inovador e visionário de formação pós-graduada, que juntou médicos, biólogos, bioquímicos e farmacêuticos em projetos de investigação; uma ação fundamental para o desenvolvimento da investigação pré-clínica e clínica em Coimbra. Concebeu também o conceito de uma “faculdade de investigação”, o que se veio a materializar na forma do Instituto Interdisciplinar de Investigação da Universidade de Coimbra, tendo presidido ao seu primeiro Conselho de Investigação (1998-2000).

No final da década de 90 desempenhou um papel crucial na instalação do Biocant, em Cantanhede, cuja origem decorre de um repto seu ao então presidente da Câmara Municipal de Cantanhede. Foi membro do Conselho Consultivo do Serviço de Ciência da Fundação Calouste Gulbenkian (1980-2006), Conselheiro do Serviço de Educação e Bolsas da Fundação Calouste Gulbenkian (2006-2010), pertenceu ao Conselho Científico da Saúde da Fundação para Ciência e Tecnologia (2002-2008) e foi membro do Conselho Consultivo da COTEC (2002-2011).

O Professor Doutor Arsélio Pato de Carvalho foi igualmente Reitor da Universidade de Coimbra (2002-2003), condecorado pelo Presidente da República com o grau de Grande-Oficial da Ordem Infante D. Henrique (2007) e distinguido, entre outros, com o Prémio Estímulo à Excelência em Investigação Científica, atribuído pela FCT (2003-2004) e o prémio “Seeds of Science”, Carreira (2010).

Em 2003, a revista Neurochemical Research publicou uma edição especial que lhe foi dedicada, pelas suas “…contribuições significativas para a investigação na área da Neurociência, particularmente no papel do cálcio intracelular como regulador da neurossecreção, e pelo empenho no desenvolvimento da Neurociência em Portugal”.

» Cerimónia de atribuição do título Honoris Causa

» Entrevista Professor Arsélio Pato de Carvalho

» Discurso Honoris Causa
última atualização a 21-04-2017
Este sítio web utiliza cookies sem recolher informação pessoal que permita a identificação dos utilizadores. Ao navegar neste sítio está a consentir a sua utilização.saber mais
Para que esta página funcione corretamente deve ativar a execução de Javascript. Se tal não for possível, algumas funcionalidades poderão estar limitadas.