história

Os anos de 1974, 1976 e 1995 assinalam três momentos importantes na vida dos Serviços de Documentação da Universidade de Aveiro (SDUA). Na origem da Universidade de Aveiro, criada pelo decreto-lei 402/ 73, do então Ministro da Educação Nacional Prof. Veiga Simão, é dado especial destaque à Biblioteca, o que se virá a concretizar, logo em 1974, com a nomeação do primeiro director dos SDUA, Dr. Adelino Amálio de Almeida Calado.

No ano letivo de 1974/75, a Universidade de Aveiro, que ocupava um edifício do CET (Centro de Estudos de Telecomunicações), na Rua Mário Sacramento, era frequentada por sete alunos do curso de Eletrónica. A dimensão da Biblioteca era então equivalente à da própria Universidade. Apesar da sua estrutura incipiente, as suas funções e objetivos tinham sido já claramente definidos, nomeadamente no que se reporta ao tratamento técnico dos fundos bibliográficos e ao apoio aos docentes e alunos da Universidade. Em termos de recursos humanos, no final de 1974 os SDUA contavam, para além do diretor, com um técnico superior, um técnico auxiliar e um encarregado de biblioteca.

Naquele edifício o espaço físico dos SDUA era constituído somente por duas salas, numa área total de 169,2 metros quadrados, distribuídos por dois pisos. A Biblioteca estava instalada numa sala equipada com 23 estantes e 33 lugares de leitura.

O ano de 1976 marca uma nova etapa na história da Universidade. A opção pelo "modelo" anglo-saxónico, reunindo os vários departamentos universitários num espaço físico bem delimitado e descentrado em relação ao tecido urbano da cidade, deslocou a Universidade para o "campus" de Santiago. Em novembro desse ano, a Biblioteca passou a funcionar no Pavilhão I, próximo do edifício da Reitoria, onde se manteve durante quase duas décadas, até ao final do ano letivo de 1994/95.

A expansão da Universidade ao longo dos primeiros trinta anos, com o aumento do número de alunos e docentes e a diversificação dos cursos ministrados, a que correspondeu um rápido crescimento dos fundos bibliográficos da sua Biblioteca, em pouco tempo tornaram insuficiente o espaço físico dos SDUA que, numa primeira fase, estavam limitados a uma área de 351 metros quadrados.

Em 1987 a Biblioteca dá início à informatização das suas funções, começando pelas tarefas de catalogação e passando, em 1988, a efetuar a conversão retrospetiva e a cooperar com a PORBASE (Base nacional de Dados Bibliográficos).

Em 1986 a Universidade de Aveiro criou o CIFOP (Centro Integrado de Formação de Professores), ao qual ficou a pertencer uma Biblioteca e Mediateca próprias. E foi também neste ano que, juntamente com os projetos dos Departamentos de Biologia e Cerâmica, viria a ser lançado o concurso público para a construção da futura Biblioteca da Universidade.

A necessidade de uma gestão cada vez mais eficaz da informação e a urgência em dar resposta às necessidades dos diferentes tipos de utilizadores, esteve na origem da adoção de um novo sistema informático, pela primeira vez usado em bibliotecas portuguesas.

Em 1995 é iniciada a introdução do sistema ALEPH, com a formação e adaptação do pessoal técnico dos SDUA a este novo software. A direção dos Serviços de Documentação passa, neste ano, a estar a cargo da bibliotecária Dra. Emília Elisa F. Araújo, que iniciou a sua atividade profissional nos SDUA em 1974, depois de dirigir Centro de Documentação Científica do Instituto de Investigação Científica de Moçambique.

No dia 3 de Junho de 1995, dia da Universidade, é inaugurado pelo secretário de Estado do Ensino Superior, Pedro Lynce, o edifício da nova Biblioteca, cujo projeto tem a assinatura do arquiteto Álvaro Siza.

No espaço de uma geração, os SDUA sofreram um rápido crescimento da sua estrutura orgânica e funcional, esforçando-se para responder aos desafios e exigências da Universidade. Acentuando uma tendência que se vinha a desenvolver desde o início da década, a Biblioteca oferecia um conjunto cada vez mais diversificado de serviços, disponibilizando numa única base de dados bibliográficos os fundos documentais próprios e da Mediateca.

O forte crescimento da Universidade de Aveiro, que se expandiu dentro do Campus e para fora do seu espaço tradicional lançou, já em 2001, novos desafios aos Serviços de Documentação que alargaram a sua ação para o novo edifício do Complexo Pedagógico, Ciêntífico e Tecnológico e para a Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Águeda. Em julho de 2001, e após o termo da comissão de serviço da Dra Emília Araújo em abril, os SDUA passaram a ser dirigidos, na sequência de concurso público, ple Dra Laura Oliva Correia Lemos, anterior chefe da Divisão de Biblioteconomia.

Ao longo de vários anos, algumas ofertas e doações contribuíram para o enriquecimento do acervo documental da Biblioteca

Em setembro de 2007, os SDUA passam a ser dirigidos pela Dra Ana Bela Martins, até então diretora dos Serviços de Relações Externas da Universidade de Aveiro.

Em 12 de Novembro de 2009, com a publicação do regulamento da Orgânica da Universidade de Aveiro, os Serviços de Documentação alargaram as suas áreas de actuação e de missão. As vertentes Museu e Arquivo, que até a esta data se encontravam fora da tutela destes serviços passam a integrar os novos serviços que, por isso, passaram a designar-se por Serviços de Biblioteca, Informação Documental e Museologia (SBIDM).

Estes Serviços encontram-se estruturados em três áreas: Biblioteca, Recursos Electrónicos e Apoio ao Utilizador e Arquivo e Museu.

Os SBIDM são geridos por um Director de Serviços, cargo actualmente ocupado pela Licª Ana Bela de Jesus Martins, que detém a responsabilidade de direcção e de coordenação geral de todo o serviço.

Cada um dos sectores de actuação dos SBIDM é coordenado por técnicos superiores, responsáveis por assegurarem a qualidade técnica necessária ao desenvolvimento das actividades do serviço. Possui também um Secretariado de apoio administrativo, financeiro e logístico transversal aos serviços.

As actividades dos SBIDM estão maioritariamente concentradas num vasto conjunto de tarefas técnicas relativas ao tratamento bibliográfico e documental e ao tratamento das colecções museológicas, assim como nas diversas tarefas ligadas ao atendimento, apoio e formação dos utilizadores no acesso à informação disponibilizada.

A actuação dos SBIDM engloba a Rede de Bibliotecas da Universidade, que compreende a Biblioteca da UA, Mediateca, Biblioteca do Instituto Superior de Contabilidade e Administração, Centro de Recursos em Conhecimento da Escola Superior Aveiro Norte, Biblioteca da Escola Superior e Tecnologia de Águeda, o Arquivo da Universidade e o Núcleo Museológico ainda em desenvolvimento.


 

última atualização a 15-12-2014
Este sítio web utiliza cookies sem recolher informação pessoal que permita a identificação dos utilizadores. Ao navegar neste sítio está a consentir a sua utilização.saber mais
Para que esta página funcione corretamente deve ativar a execução de Javascript. Se tal não for possível, algumas funcionalidades poderão estar limitadas.