intervenções

Todas as intervenções sobre os edifícios propriamente ditos ou sobre infraestruturas de uso comum, independentemente de se tratar de processos de instalação, alteração ou manutenção, devem ser acompanhadas pelos sGTL/UA. Por infraestruturas de uso comum deverão ser entendidas as seguintes:

  • Edifícios;
  • Elevadores;
  • Equipamentos de AVAC;
  • Vídeo-vigilância;
  • Deteção de incêndios;
  • Deteção de intrusão;
  • Controlo de acessos;
  • Geradores;
  • Postos de seccionamento;
  • Postos de transformação;
  • Redes de distribuição de eletricidade, gás e água;
  • Redes de saneamento.

A solicitação de intervenções aos sGTL/UA só poderão ser feitas pelos pivot nomeados pelos diferentes Departamentos/Unidades através de e-mail  (sgtl@ua.pt) ou via telefone (52200).

As intervenções realizadas pelos sGTL/UA, em data posterior à conclusão da respetiva empreitada,  em edifícios ou em equipamentos de uso comum, podem ser classificadas em dois grandes grupos, a saber:

Num primeiro grupo, estão incluídas as intervenções que visam garantir a integridade das estruturas (edifícios propriamente ditos ou equipamentos de uso comum), isto é, intervenções de “conservação e manutenção”;

Num segundo grupo, devem ser consideradas as restantes intervenções que correspondem a beneficiações.

Conservação e Manutenção

Uma vez que neste capítulo estão incluídas as intervenções que visam garantir a integridade / operacionalidade de infraestruturas disponibilizadas por ocasião da conclusão das empreitadas, os custos que daí possam resultar são suportados pelos orçamentos centrais, sem que se proceda a qualquer imputação de custos aos orçamentos das respetivas Unidades.

No entanto, para se ter uma noção tão precisa quanto possível sobre os custos das intervenções por Edifício / Unidade, os documentos de despesa são lançados em sub-centros de custo criados especificamente para suporte à contabilidade analítica. Assim, o lançamento dos documentos de despesa poderá ser feito quer ao nível do Edifício, quer ao nível da Unidade, conforme se trate de beneficiações globais ou setoriais.

Beneficiação

Os encargos com a disponibilização e manutenção de equipamentos de utilização específica e/ou colocados numa fase posterior à conclusão da empreitada são da responsabilidade das respetivas Unidades, uma vez que correspondem a meios que, tipicamente, se destinam a suportar atividades de investigação ou que correspondem a benfeitorias.

O lançamento dos documentos de despesa e imputação dos respetivos custos é efetuado de acordo com as seguintes regras:

Os documentos são lançados em centros de custo geridos centralmente;

A imputação dos custos às entidades solicitantes é feita através de transferências orçamentais (no caso das entidades internas à UA) ou pela emissão de faturas (no caso de entidades externas à UA) à ordem dessas entidades.

Para se ter uma noção tão precisa quanto possível sobre os custos das intervenções por Edifício / Unidade, os documentos de despesa são lançados em sub-centros de custo criados especificamente para suporte à contabilidade analítica. Assim, o lançamento dos documentos de despesa é feito quer ao nível do Edifício, quer ao nível da Unidade, conforme se trate de beneficiações globais ou setoriais. No caso das beneficiações globais, haverá lugar à imputação de custos por cada uma das Entidades alojadas no edifício intervencionado.


última atualização a 15-02-2018
Este sítio web utiliza cookies sem recolher informação pessoal que permita a identificação dos utilizadores. Ao navegar neste sítio está a consentir a sua utilização.saber mais
Para que esta página funcione corretamente deve ativar a execução de Javascript. Se tal não for possível, algumas funcionalidades poderão estar limitadas.