quem somos

O Departamento de Ciências Sociais, Políticas e do Território (DCSPT) tem como missão o desenvolvimento do ensino, da investigação e da cooperação com a sociedade em torno do domínio das Políticas Públicas, na interseção das ciências sociais, ciências políticas e ciências do território, com o propósito de se tornar uma referência académica e científica neste domínio.


O DCSPT está estruturado segundo três grande áreas do conhecimento –Ciências Sociais, Ciência Política e Ciências do Território –  que integram diferentes domínios disciplinares. A multidisciplinaridade caraterística do DCSPT está bem patente na atividade de produção científica. A qual, bem enquadrada no campo das políticas públicas, abrange setores tão diversos como a habitação, ensino superior, saúde, ciência e tecnologia, inovação, desenvolvimento regional, urbanismo, administração central e local/regional, ambiente, Estado social, população, partidos políticos, etc.


No plano da formação graduada e pós-graduada (Mestrado e Doutoramento) é também visível a presença de alguma multidisciplinaridade nos currículos. De facto, quer o estado, quer a administração pública são plurais e, nesta perspetiva, uma certa diversidade curricular permite a aquisição de uma visão mais ampla e menos ‘formatada’ da realidade, com vantagens para uma maior plasticidade e flexibilidade na adaptação ao mercado de trabalho. 

Neste contexto, o DCSPT olha para as políticas públicas como o efeito
da confluência de três domínios sociais e políticos, a saber:

A. Os contextos, as dinâmicas e as transformações sociais

· As relações de força ou de compromisso decorrentes
da formulação e concretização das políticas públicas (relações de força e
negociações);

· A integração, pelos atores/agentes públicos (Estado, instituições públicas e privadas,
profissionais e associações da sociedade civil), dos problemas sociais, económicos e políticos nos processo de formulação e concretização da(s) política(s) públicas;

· A forma como os problemas, alvos das políticas públicas, é inscrita na agenda política;


·  A identificação e caraterização dos diferentes grupos sociais, organizados ou não, envolvidos nas ações públicas e na relação com o Estado;


· As práticas de participação nas ações públicas ao nível individual e coletivo e os seus significados sociais e políticos;


·  As dinâmicas de mobilização social e de participação política.

B. Os processos de formulação, concretização e avaliação das políticas públicas:

· As relações estabelecidas entre os agentes/atores,habitualmente designados pelo termo ‘Estado’ (dirigentes, instituições e outros que retiram a sua legitimidade ou a sua autoridade do Estado) e os diferentes grupos que intervêm, de uma forma direta ou indireta, na formulação e
concretização dessas políticas;

· A receção, resposta e coprodução das políticas públicas – pluralismo dos grupos de interesse, das instituições e participação nas decisões sobre as políticas públicas;

· As regras de ação e de conduta que enquadram as interações entre os ‘atores/agentes’ e os estilos de governo, ou de governação, dos sistema e das instituições públicas.

C. Atores, instituições e os instrumentos das políticas públicas:

· O Estado e os seus atores/agentes: Identificação e análise dos serviços públicos, das instituições e de outras instâncias de decisão recetoras e produtoras de políticas públicas;

· A ordem institucional que emerge na produção das políticas públicas ou da ação pública;

· Formas assumidas pelas políticas públicas: Institucionalização e consequências da institucionalização

· Estilos de governo: Governo e governação;

· Organizações políticas, partidos e profissionalização da política;

· Condições de receção e de influência sobre as políticas públicas dos profissionais envolvidos na sua concretização;

· Atores e agentes locais, dinâmicas e estratégias de desenvolvimento local e regional;

· Processos de participação e envolvimento públicos como fonte de racionalidade e legitimação das políticas públicas.


Ensino

O DCSPT é responsável pelo programa de Licenciatura em Administração Pública
desde 2002/03 (o currículo de Bolonha entrou em funcionamento em 2006/07),
assim como coresponsável (em conjunto com o ISCA) pela Licenciatura em
Técnicos Superiores de Justiça.

No âmbito dos cursos de Mestrado, o DCSPT é igualmente responsável, ou
coresponsável, pelos Mestrados em: Administração e Gestão Pública; Ciência
Política; Estudos Chineses (em colaboração com o ISCTE – IUL); Planeamento
Regional e Urbano; Gestão e Políticas Ambientais (colaboração com o DAO, em
regime de rotatividade), e Demografia (em colaboração com várias universidades
portuguesas).


Quanto ao desenvolvimento da formação avançada para a investigação, o DCSPT dispõe de dois programas doutorais, desenvolvidos em parceria com outras universidades portuguesas – o Programa deDoutoramento em E-Planning e o Programa Doutoral em Estudos em Ensino Superior. O DSCPT viu aprovado recentemente pela A3ES o seu novo Programa de Doutoramento em Políticas Públicas.

Investigação

No âmbito da investigação, o DCSPT participa em duas unidades de investigação, o GOVCOPP, Unidade de Investigação em Governança, Competitividade e Políticas Públicas e o CIPES- Centro de Investigação de Políticas do Ensino Superior. Acolhe ainda o CEA- Centro de Estudos Asiáticos  e o GETIN-UA – Grupo de Estudos em Inovação e Território.


Cooperação com o exterior

A cooperação com a sociedade constitui um eixo importante de ação proposto na definição da estratégia para o DCSPT. Em particular, a área de PRU mantém já uma longa tradição neste tipo de atividades, mas tal começa a tomar corpo, igualmente, no âmbito da administração pública com os acordos de cooperação com o INA e outras cooperações de docentes do Departamento com organizações do setor público e do setor privado. Sublinhe-se, igualmente, a colaboração do DCSPT com o Governo de Timor-Leste na elaboração dos programas, dos manuais e dos guiões de professores para o Ensino Secundário timorense. Esta equipa é responsável pela área de Sociologia, tendo já finalizado o manual e o guia dos professores para o 10º ano. O PRU tem em curso, igualmente, vários projetos de cooperação com Municípios em diversos domínios do ordenamento do território. O Centro de Estudos Asiáticos, por seu lado, tem vindo a desenvolver atividade significativa no campo da cooperação com a sociedade, incluindo o meio empresarial.

última atualização a 06-02-2014
Este sítio web utiliza cookies sem recolher informação pessoal que permita a identificação dos utilizadores. Ao navegar neste sítio está a consentir a sua utilização.saber mais
Para que esta página funcione corretamente deve ativar a execução de Javascript. Se tal não for possível, algumas funcionalidades poderão estar limitadas.