objetivos

A abordagem ao design é estruturada em três escalas que se traduzem em três grandes áreas de desenvolvimento projetual – design e estratégia, design e identidade, design e tecnologia. Do geral para o particular considera-se a dimensão estratégica do design contribuindo para o planeamento do território, área sob a tutela do investigador Rui Roda. Num segundo domínio, identificam-se os processos de representação identitária, nomeadamente através do exercício de 'branding' como argumento estrutural na conceção de produtos, dispositivos e serviços. Esta área é orientada pelo designer Henrique Cayatte, atual presidente do Centro Português de Design. O terceiro domínio visa uma maior especificidade na resposta ao mercado pela conceção de novos artefactos orientados quer para a sua reprodução industrial quer pela integração tecnológica de outras áreas disciplinares quer ainda respondendo à especificidade de novas necessidades. Este terceiro domínio é tutelado pelo designer Paulo Bago d'Uva.

O contacto teórico obrigatório dos alunos (1º semestre, 1º ano) com estas três dimensões do design (design de serviços, identidade e produto) deverá despertar nos discentes um interesse específico de investigação a desenvolver nos semestres subsequentes nas disciplinas de projeto. A exploração científica dos temas escolhidos e sua projeção para tema de dissertação ficará sempre sujeita à disponibilidade de orientação científica, que no entanto, não está limitada ao corpo docente do departamento de comunicação e arte. Na resposta simbiótica entre investigação científica e oportunidade sócio-económica e consequentemente a ligação da universidade ao território económico de transferência tecnológica, entende-se que os cursos de mestrado deverão orientar-se segundo metatemas da atualidade, suficientemente universais por forma a acolher a maior diversidade de dissertações propostas.

Por último, este mestrado aposta numa grande variabilidade de percursos formativos de modo a dar uma resposta alicerçada num amplo conjunto de opcionais, quer às alterações frequentes e previsíveis do mercado de trabalho, quer às diferentes dinâmicas de investigação na área científica do design e da Universidade de Aveiro considerada no seu todo.

saídas profissionais

Considera-se que o 2º ciclo de formação se destina a promover no licenciado uma área de especialização. O mestrado em design está aberto a que os seus discentes proponham o desenvolvimento projetual em ambiente de empresas e assim vocacionando a sua orientação para as necessidades das organizações de acolhimento podendo constituir um favorável meio de aquisição e qualificação de um posto de trabalho. Por outro lado, toda a estrutura de ensino-aprendizagem de design se funda num processo de simulação prática frequentemente encenado a partir de situações reais, cujos resultados são, por vezes, certificados pelos próprios empresários.

A experiência curricular a que estão sujeitos garante condições mínimas para a prestação profissional no design de serviços, design de identidade e design de produto.

observações
Reg. nº: R/B – AD 758/2007
a informação disponibilizada nesta página não dispensa consulta à página de acesso ao ensino superior
Este sítio web utiliza cookies sem recolher informação pessoal que permita a identificação dos utilizadores. Ao navegar neste sítio está a consentir a sua utilização.saber mais
Para que esta página funcione corretamente deve ativar a execução de Javascript. Se tal não for possível, algumas funcionalidades poderão estar limitadas.