dqua - procedimentos de mestrado

Dissertação/Estágio ou Projeto em Empresa ou Instituição


Coordenador de estágios


Profª Doutora Sílvia Maria da Rocha Simões Carriço


Procedimento de estágio

Protocolo de cooperação

Acordo de dissertação

Regulamento de Estágios de Mestrado em Ambiente Empresarial 

Protocolos assinados com empresas

Protocol of cooperation

Dissertation/Project/Internship cooperation agreement



Provas de Mestrado ao abrigo do Despacho N.o 14-REIT/2020, de 23 de março (regime legal adequado à situação epidemiológica do novo Coronavírus - COVID 19)



Pedido de Provas


Época Normal – até 9 de junho de 2020;

Época Especial – até 31 de Dezembro de 2020;
 

1. Passo
 
O aluno, com conhecimento do Orientador, envia por via eletrónica ao Diretor de Curso a versão provisória da dissertação. O Diretor de Curso, em consonância com o Orientador, verifica a admissibilidade da dissertação.
 
2. Passo
 
O aluno envia, para o email mgos@ua.pt, numa mensagem identificada com o assunto “Requerimento de admissão a provas de mestrado” (ver minutas), dentro do prazo estabelecido para o efeito do calendário de execução escolar, instruído com a seguinte documentação:

2.1.    O requerimento de admissão a provas de mestrado (ver minutas);
2.2.    Declaração do orientador confirmando a aceitação da entrega da dissertação (ver minutas);
2.3.    Declaração de Honra (ver minutas);
2.4.    Exemplar da dissertação de mestrado, segundo as normas aprovadas pelo Conselho Científico da UA, em suporte eletrónico.

O envio da documentação pode ser por via do filesender, ou plataforma semelhante, quando os ficheiros excederem o tamanho suportado pelo e-mail, devendo tal situação ser expressa no email de pedido da admissão a provas.


Os estudantes que não concluírem o trabalho para entrega nesta data, dispõem de uma época especial, cujo prazo para pedido de provas e defesa de dissertação se encontra igualmente definido no calendário de execução escolar
 
3. Passo
 
A secretaria verifica a correta instrução do pedido, nomeadamente:

3.1.    Se o aluno tem inscrição registada no ano letivo em que solicita as provas;
3.2.    Se o aluno esteve inscrito, seja em regime de tempo integral, seja em regime de tempo parcial;
3.3.    Se estão registadas todas as notas e/ou creditações;
3.4.    Se estão regularizados os pagamentos das dívidas (propinas e taxas).

4. Passo

4.1.    O pedido não está devidamente instruído – a Unidade Orgânica solicita ao aluno que diligencie pelo suprimento das deficiências existentes;
4.2.    O pedido está devidamente instruído – a Unidade Orgânica dá sequência ao processo informando por email o Diretor de Curso.
 
5. Passo
 
5.1.    O Diretor de Curso solicita ao orientador uma proposta de júri (ver minutas), que é avaliada pela Comissão Científica do Mestrado.

A constituição do júri deve obedecer às seguintes regras:

O Júri é constituído por 3 a 5 elementos:

a)    O Diretor de Curso, que preside (pode delegar a presidência do Júri num doutorado, docente ou investigador, da Universidade de Aveiro);
b)    Uma individualidade nacional ou estrangeira, desejavelmente externa à Unidade Orgânica, que seja doutor ou especialista na área correspondente e cujo mérito seja reconhecido pelo Conselho Científico;
c)    O orientador ou o coorientador, podendo apenas um deles integrar o júri;
d)    Eventualmente, outros doutores ou especialistas (incluindo da entidade de acolhimento do estudante de mestrado) no domínio em que se insere a dissertação, nacionais ou estrangeiros, de mérito reconhecido pelo Conselho Científico da Universidade de Aveiro.
 
Notas:

>     Devem ser indicados os nomes completos dos membros do Júri, por extenso e sem abreviaturas;
>     Devem ser indicados os Departamentos, Escolas, Faculdades ou Centros a que pertencem os membros do Júri, por extenso e sem abreviaturas;
>     Devem ser indicados os endereços de email a utilizar para as comunicações.
 
5.2.    A Comissão Científica do Mestrado envia a proposta de Júri à secretaria por email (para mgos@ua.pt)
 
6. Passo
 
O Júri é enviado à Reitoria (ver minutas), via Gestão Documental, para homologação, a qual devolverá o processo à Unidade Orgânica depois de homologado.
 
7. Passo

Após a aprovação do Júri, a Unidade Orgaânica deve:

7.1.    Efetuar a notificação ao aluno (ver minutas), na qual:
     7.1.1.    Solicita a apresentação, via email ou filesender, no prazo de 5 dias úteis, da versão da Dissertação que será objeto de defesa na prova, de acordo com as normas aprovadas pelo Conselho Científico;
     7.1.2.    Apresenta o novo modelo de prestação das provas (em formato de videoconferência) e questiona sobre a concordância do aluno com o mesmo e verifica a existência de condições técnicas.
7.2.    Efetuar a notificação aos membros do Júri (ver minutas), na qual apresenta o novo modelo de prestação das provas (em formato de videoconferência) e questiona sobre a concordância, de todos os elementos do Júri, com o mesmo, verificada a existência de condições técnicas;
7.3.    A Unidade Orgânica só poderá avançar para a realização das provas no formato de videoconferência após ter a concordância expressa (via email) de cada um dos membros do Júri e do aluno, verificada a existência de condições técnicas para o efeito;
7.4.    A Unidade Orgânica faz a marcação da data para a prova, até trinta dias consecutivos após a data da homologação do Júri, não se podendo, em todo o caso, ultrapassar a data definida no calendário escolar para o último dia de defesa da prova. O registo da data de realização da prova continuará a ser efetuado no SIGACAD, devendo ser inserido, na escolha do local da prova, o algarismo zero nos campos “Edifício”, “Piso” e “Sala”, por forma a que seja assumido o formato de videoconferência na descrição. No campo “Local” deve ser inserido o link com o acesso para a sessão pública de defesa da dissertação. Caso a marcação da prova não possa cumprir a data final estabelecida dentro do período previsto  no calendário escolar para a defesa na época especial, a Unidade Orgânica deverá solicitar autorização excecional ao Vice-Reitor para marcação da prova em data posterior. Em caso de aprovação pelo Vice-Reitor, esta nova data deverá ser comunicada aos SGA para registo no SIGACAD.
 
8. Passo

Organização e publicitação das provas:

8.1.    A Unidade Orgânica diligencia pela criação, na plataforma Zoom, do acesso para a sessão de videoconferência que assegurará o secretariado das provas. Esta sessão apenas ficará disponível para os membros do Júri e o secretariado, para todos os atos administrativos (avaliação da prova e aprovação da ata);
8.2.    A Unidade Orgânica diligencia, junto dos STIC (email gilberto@ua.pt e criação de BUD), pela criação do acesso para a sessão pública de defesa da dissertação. Esta sessão ficará disponível para o candidato, os membros do Júri e o público, atento o carácter público das provas;
8.3.    A Unidade Orgânica divulga o link para a sessão pública de defesa da dissertação na sua página web, em área criada para o efeito;
8.4.    A Unidade Orgânica envia informação aos SCIRP (ver minutas) sobre o link para a sessão pública de defesa da dissertação;
8.5.    A Unidade Orgânica envia, por email, a convocatória para as provas ao candidato (ver minutas) e aos membros do júri (ver minutas).

9. Passo
 
Realização da prova (com recurso ao acesso criado para a sessão pública de defesa da dissertação)

A Unidade Orgânica assegura o secretariado das provas públicas de discussão e defesa da dissertação, tendo presente que:

9.1.    A discussão pública da dissertação não pode ter lugar sem a presença do Presidente e da maioria dos restantes membros do Júri;
9.2.    A discussão pública da dissertação tem uma duração entre 30 e 60 minutos, que inclui a apresentação do trabalho pelo aluno;
9.3.    No momento da defesa pública e aprovação da dissertação, e para integração na respetiva versão final, o Júri pode determinar ao aluno a realização de pequenas alterações ou correções ao documento apresentado, as quais devem constar expressamente na ata da prova pública, devendo ser estabelecido um prazo não superior a duas semanas para que o estudante entregue a versão corrigida da dissertação. Nesta situação compete ao presidente do júri avaliar se as correções efetuadas estão em conformidade com o sugerido pelo júri e indicar, mediante preenchimento de declaração para o efeito (ver minutas), que o processo está em condições de ser aceite;
9.4.    O Júri reúne (com recurso ao acesso criado para o secretariado das provas) tendo em vista deliberar sobre a apreciação e avaliação final do aluno;
9.5.    As deliberações são tomadas por maioria dos membros que constituem o Júri, através de votação nominal justificada, não sendo permitidas abstenções. O Presidente do Júri dispõe de voto de qualidade, podendo também participar na decisão quando seja considerado especialista da área científica em que se integra a dissertação;
9.6.    A classificação final, de natureza quantitativa, é expressa na escala de 0 a 20 valores;
9.7.    A Unidade Orgânica elabora a ata da reunião (ver minutas), da qual constam os votos de cada um dos membros do Júri, a respetiva fundamentação, que pode ser comum a todos ou a alguns membros, e a menção da realização da prova por videoconferência;
9.8.    A ata, e os respetivos anexos que dela fazem parte integrante, circularão, por via eletrónica, para aposição da assinatura eletrónica qualificada (através do cartão de cidadão ou de chave móvel digital). Esta circulação será moderada pelo elemento da Unidade Orgânica que assegura o secretariado, por forma a garantir a obtenção de todas as assinaturas no mais curto espaço de tempo.
Os membros do Júri que não tenham condições para a aposição da assinatura eletrónica qualificada (através do cartão de cidadão ou de chave móvel digital) devem inserir no documento a sua assinatura digitalizada. Compete ao secretariado moderar a recolha das assinaturas de todos os elementos do júri garantindo que no final o Presidente do Júri assina digitalmente todos os documentos com recurso a assinatura eletrónica qualificada (através do cartão de cidadão ou de chave móvel digital).

10. Passo

Logo após a realização das provas a Unidade Orgânica efetua as seguintes diligências:

10.1.    Notificação ao aluno para entrega da documentação final da dissertação (ver minutas);
10.2.    Retira, da página web da Unidade Orgânica, do link para a sessão pública de defesa da dissertação;
10.3.    No prazo máximo de duas semanas após a realização da prova, o aluno deve enviar, por email (para mgos@ua.pt), dirigido à secretaria da Unidade Orgânica, numa mensagem identificada com o assunto “Provas de mestrado –
Envio de documentos finais”, a seguinte documentação (em formato pdf):
      10.3.1.    Um exemplar da Dissertação (versão integral do trabalho organizada segundo as normas aprovadas pelo Conselho Científico), em formato pdf não bloqueado com password, ou enviado via filesender;
                 10.3.1.1.    Declaração de Direitos de Autor (ver minutas);
                 10.3.1.2.    Declaração da aceitação por parte do presidente do júri das correções efetuadas (ver minutas), caso se verifique a situação descrita no ponto 9.3.;
10.4.    Compete à Unidade Orgânica verificar a conformidade da documentação entregue e assegurar que somente após esta validação é que será registada a nota da prova académica realizada;
10.5.    A Unidade Orgânica arquiva no processo individual do aluno existente na Gestão Documental, na subpasta com a designação Pedido de Provas, cópia da ata assinada, da dissertação entregue e, no caso de o júri ter sugerido alterações, da declaração do presidente do júri a aceitar a Dissertação corrigida;
10.6.    A Unidade Orgânica envia aos SBIDM, através do email sbidm-teses@ua.pt, o exemplar da Dissertação, juntamente com a Declaração de Direitos de Autor, devidamente preenchida pelo aluno, a Declaração de Documento Final e a checklist com a indicação da verificação efetuada dos documentos entregues pelo aluno.

O envio deste email deve cumprir as seguintes regras:


i.    Assunto: Sigla do departamento [Nome do aluno];
ii.    Corpo da mensagem: nome do aluno, UU (e-mail), n.º mecanográfico e ORCID;
iii.    Ficheiros anexos (ou por filesender): a dissertação (em formato pdf), anexos (sempre que existam), Declaração de Direitos de Autor e Declaração de Documento Final (também em formato pdf).


Após o lançamento da nota da dissertação e da correspondente homologação de média final, estão reunidas as condições para o aluno solicitar, nos SGA, a emissão da certidão de informação final e da correspondente carta de curso.


última atualização a 07-05-2020
Este sítio web utiliza cookies sem recolher informação pessoal que permita a identificação dos utilizadores. Ao navegar neste sítio está a consentir a sua utilização.saber mais
Para que esta página funcione corretamente deve ativar a execução de Javascript. Se tal não for possível, algumas funcionalidades poderão estar limitadas.