45 anos da UA
 

projetos individuais

Título:
Os «Jazzes» – a ingénua irreverência. Estudo etnomusicológico sobre a emergência do Jazz no meio rural em Portugal entre 1920 e 1960.

Autor: Hélder Bruno de Jesus Redes Martins (CEJ/UA, INETmd)

Tipo de Projeto: Tese de Doutoramento

Sumário: O Jazz, não sendo um estilo musical enquadrado na axiologia de Portugal do início da década de 20 do séc. XX, aqui teve também as suas repercussões. A existência de formações denominadas «Jazzes»/«Jazz-bands» comprovam-no. Ao contrário do que seria de esperar, estas formações não se circunscreviam aos centros cosmopolitas (Lisboa ou Porto). Nos meios rurais, não cosmopolitas, também existem dados que comprovam a sua existência. Conhecer e compreender a génese destes «Jazzes», os condicionalismos da sua emergência, as motivações e as formações musicais dos seus elementos e o papel que desempenharam nas comunidades a que pertenciam, são os principais objetivos deste estudo.

Data de início: outubro de 2007

Duração: 4 anos

Financiamento: Fundação para a Ciência e a Tecnologia

_______________________________________________________________________________


Título:
Coisas da Terra - O Piano e os Pianistas no Jazz em Portugal

Autor:
Luís Figueiredo (CEJ/UA, INETmd)

Tipo de Projeto:
Tese de Doutoramento

Resumo
Após um longo período de regime ditatorial que, durante mais de quarenta anos, manteve o país culturalmente isolado, o Jazz ganhou relevo em Portugal a partir da década de 1970. De um primeiro grupo de músicos profissionais, destacam-se quatro pianistas: António Pinho Vargas, João Paulo Esteves da Silva, Mário Laginha e Bernardo Sassetti. Estes são, ainda hoje, os pianistas mais proeminentes do género no país. Embora etariamente não pertençam à mesma categoria, do ponto de vista musical há inúmeros traços transversais aos quatro músicos: a proximidade com a música erudita, a música de cariz tradicional e uma atitude musicalmente abrangente são alguns deles. Mas mais importante ainda, a música que fazem é extremamente original e inegavelmente portuguesa. Como explicar que os primeiros representantes do piano num género virgem no país tenham desde logo construído uma linguagem e um vocabulário tão próprios, ao invés da maioria dos outros países, em que os músicos iniciais começaram por emular as grandes referências americanas? Esta tese procura estudar a música destes pianistas, o seu lugar no panorama do Jazz, e a sua portugalidade, oferecendo desta forma um importante contributo para a compreensão do Jazz Português.

Data de início:
outubro de 2006

Duração: 4 anos

Financiamento:
Fundação para a Ciência e a Tecnologia
última atualização a 09-04-2014
Este sítio web utiliza cookies sem recolher informação pessoal que permita a identificação dos utilizadores. Ao navegar neste sítio está a consentir a sua utilização.saber mais
Para que esta página funcione corretamente deve ativar a execução de Javascript. Se tal não for possível, algumas funcionalidades poderão estar limitadas.