45 anos da UA
 

Exposição
ANTÓNIO DE CÉRTIMA. O PERFIL DO HOMEM E DO ESCRITOR

De 11 de dezembro a 15 de janeiro de 2018 | 09h00 - 20h00*
Sala de Exposições Hélène de Beauvoir, Biblioteca da UA

A UA é detentora de parte do espólio pessoal e profissional de António de Cértima e que agora se dá a conhecer ao público numa primeira exposição intitulada “António de Cértima. O Perfil do Homem e do Escritor”. A inauguração teve lugar no dia 11 de dezembro, pelas 17 horas, na sala Hélène Beauvoir da Biblioteca da Universidade de Aveiro e estará aberta ao público em geral até ao dia 15 de janeiro de 2018.


A EXPOSIÇÃO

Na exposição são apresentadas as variadas vertentes do perfil pessoal e profissional de António de Cértima, tendo como base a coleção documental doada aos Serviços de Biblioteca, Informação Documental e Museologia (SBIDM) da Universidade de Aveiro pelo escritor e jornalista Arsénio Mota.

Na exposição são dados a conhecer muitos dos aspetos da personalidade de António de Cértima, quer através dos materiais patentes, atualmente pouco conhecida, quer no dia da inauguração, com a  intervenção de Nuno Rosmaninho, docente do Departamento de Línguas e Culturas da UA.


A COLEÇÃO DOCUMENTAL

Na coleção doada encontra-se a vasta obra literária publicada do autor, constituída por trinta títulos, várias obras inéditas que não chegaram à estampa e até poemas musicados.

A inúmera correspondência, tanto de cariz pessoal como profissional e político que está à guarda dos SBIDM é muito reveladora da ambiência, da caraterização e do panorama político e social da época e dos contextos em que António de Cértima viveu (1894-1983) a nível nacional e internacional.

A coleção está a ser tratado e será disponibilizada brevemente. Alguns dos livros sobre António de Cértima foram doados pelo escritor Arsénio Mota e podem ser consultados na Biblioteca da UA.


SOBRE ANTÓNIO DE CÉRTIMA

António de Cértima Nasceu a 27 de julho de 1894, na freguesia da Giesta, Oiã, Oliveira do Bairro. Recebeu o nome de batismo de António Augusto Gomes Cruzeiro e foi o quarto filho do casal António Francisco Cruzeiro e Thereza de Jesus Pereira Gomes.

Fez a instrução primária na sua terra natal em 1904 e prosseguiu os estudos no Liceu de Aveiro, frequentou o curso de Direito, adquiriu conhecimentos de línguas estrangeiras, nomeadamente Francês, Espanhol, Inglês, Italiano e línguas árabes.

Inicialmente trabalhou como caixeiro no estabelecimento comercial de sua mãe. Em 1914 deu os primeiros passos no jornalismo. Em 1921, foi secretário da nova revista Talábriga e tornou-se uma figura regional notável ao lado de aveirenses de prestígio, como Alberto Souto, Lourenço Peixinho, Homem Christo, entre outros. Em 1922 foi para Lisboa onde se dedicou ao jornalismo de forma ativa. Relacionou-se com figurar literárias da época - Mários Domingues, Assis Esperança, Ferreira de Castro, Guedes de Amorim - e fez um trabalho jornalístico notável.

O jornalismo e o seu gosto pela aventura levou-o a Paris onde realizou entrevistas singulares a artistas contemporâneos, tais como: a Condessa Mathieu de Noailles, Henry-Marx, Victor Margueritte.

Publicou, nos anos 50, artigos para a revista sevilhana Archivo Hispalense. A sua obra literária traduziu-se em cerca de três dezenas de títulos de diversos géneros, entre os quais se destacam a poesia, narrativa, crónica, viagem, conto, romance e estudos diversos.

Iniciou a sua vida diplomática em 1926. Foi nomeado Vice-cônsul no Suez, Egito. Em 1927 foi nomeado Cônsul de Portugal em Dacar, Senegal. Transitou para o consulado de Sevilha em 1932 onde permanecu até 1949 e onde viveu os anos difíceis da Guerra Civil Espanhola e da II Grande Guerra. Regressou a Portugal nos anos 50 e foi reconhecido a nível internacional como um Embaixador da Cultura Portuguesa.

António de Cértima teve uma vida social intensa e preenchida e foi um homem de amores diversos. Casou aos 54 anos, com D. Maria Arminda de Castro Lacerda, uma lisboeta natural do Caramulo. Em 1949 nasce a filha do casal - Maria de Fátima Lacerda de Cértima.

Faleceu com 89 anos, no Caramulo, a 20 de outubro de 1983, deixando uma vasta e diversificada obra literária.


última atualização a 15-12-2017
Imprensa Portiguesa
Este sítio web utiliza cookies sem recolher informação pessoal que permita a identificação dos utilizadores. Ao navegar neste sítio está a consentir a sua utilização.saber mais
Para que esta página funcione corretamente deve ativar a execução de Javascript. Se tal não for possível, algumas funcionalidades poderão estar limitadas.