Projetos Copromoção

 

Designação do projeto: VALORMAR - Valorização integral dos recursos marinhos: potencial, inovação tecnológica e novas aplicações

Medida: Sistema de Incentivos à Investigação e Desenvolvimento Tecnológico – Programas Mobilizadores

Objetivo Principal: Reforçar a Investigação, o desenvolvimento e a inovação

Código do Projeto: POCI-01—24517

Lisboa-01-0247-FEDER-024517

AlG-01-0247-FEDER-024517

Região de intervenção: Norte, Centro, Lisboa e Algarve

Entidade beneficiária: Sonae MC- Serviços partilhados, S.A.

Copromotores: Fórum Oceano, CIIMAR, AlgaPlus, A Poveira, Bivalvia, CCMAR, CPC, CVR, CMP, Docapesca, Foodintech, Fourmag, Hidromod, Instituto Politécnico de Leiria, INEGI, iBET, IPMA, IPVC, Navia, Necton, Piscicultura do Vale da Lama, Riasearch, Sorgal, Sparos, SPI, Escola Superior de Biotecnologia da U. Católica, Universidade de Aveiro, Universidade do Minho e Universidade do Porto.

Data de aprovação: 17-08-2017
Data de início: 01-10-2017
Data de conclusão: 30-09-2020
Custo total elegível: 8.043.392,62€
Custo total elegível – Universidade de Aveiro: 690.944,46€
Apoio Financeiro da União Europeia: FEDER – 5.475.707,39€
Apoio Financeiro –Universidade de Aveiro: FEDER – 518.208.35€

Resumo: O projeto ValorMar, liderado por uma instituição de referência - SONAE, integra 18 empresas e 13 entidades do sistema de I&D, com ampla abrangência geográfica nacional. ValorMar desenvolverá soluções tecnológicas inovadoras que potenciem a valorização e uso eficiente dos recursos marinhos através da integração das cadeias de valor, numa lógica de economia circular, articulando: aquacultura, indústria alimentar, biomédica, farmacêutica e cosmética. O ValorMar tem como objetivo geral a valorização de recursos marinhos, através da investigação, desenvolvimento e demonstração de novos produtos e da melhoria de processos produtivos, propondo soluções inovadoras para a criação de novos produtos alimentares saudáveis, recorrendo a inovadoras tecnologias sustentáveis e eficientes. Terá como objetivos específicos: 1. Investigação e desenvolvimento de conservas e snacks inovadores, propondo novas estratégias para prolongar o tempo de vida útil de preparados de pescado; 2. Desenvolvimento e otimização de novos produtos, tecnologias e processos para produção aquícola em Portugal e na Europa; 3. Biorefinarias marinhas – isolamento de compostos bioativos marinhos, para utilização numa diversificada gama de aplicações, incluindo formulações para alimentos funcionais ou em indústrias biomédicas, farmacêuticas e cosmética; 4. Investigação e desenvolvimento de uma plataforma tecnológica de suporte à informação de rastreabilidade, que permita a disponibilização de informação a empresas e ao consumidor final de um modo integrado, considerando toda a cadeia de valor em causa; 5. Divulgar os avanços científicos e técnicos alcançados e assegurar mecanismos para a promoção da valorização económica dos resultados do projeto. Os produtos, processos e serviços serão produzidos numa lógica de mobilização transversal de recursos humanos, com vasto currículo e experiência em desenvolvimento e implementação de projetos de I&D nas áreas temáticas do ValorMar.

_____________________________________________________________________________

 

Designação do Projeto: MOBFOOD - Mobilização de Conhecimento Científico e Tecnológico em Resposta aos Desafios do Mercado Agroalimentar 

Código do Projeto: 24524 

Tipologia da Operação: Sistema de Incentivos à Investigação e Desenvolvimento Tecnológico - Programas Mobilizadores 

Código da Operação: POCI-01-0247-FEDER-024524 

Objetivo temático: OT 1 - Reforçar a investigação, o desenvolvimento tecnológico e a inovação 

Região de Intervenção: Norte, Centro, Lisboa, Alentejo

Entidade beneficiária:  PRIMOR CHARCUTARIA - PRIMA, S.A

Copromotores: A Poveira, BEL, BLC3, Central Carnes, CEREALIS, SONAE, DECORGEL, FOODINTECH, FRULACT, ICM, INOVAMAIS, ITS, Mendes Gonçalves, OLANO, SEBOL, Sense Test, UNIVEG, VITACRESS, Vizelplas, CATAA, CIIMAR, CINTESIS, NOVA Medical School, Universidade Católica Portuguesa, Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, Instituto de Biologia Experimental e Tecnológica, Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia, Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, Instituto Politécnico de Bragança, Instituto Politécnico de Coimbra e Instituto Politécnico de Castelo Branco, Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, Instituto Politécnico de Leiria, Instituto Politécnico de Santarém, Instituto Politécnico de Viseu, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, Instituto Superior de Agronomia, Instituto Superior Técnico, Polo de Inovação em Engenharia de Polímeros, Integralar, Universidade de Aveiro, Universidade de Coimbra, Universidade do Minho e Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa.

Data de aprovação: 24.07.2017 

Data de início: 01.12.2017 

Data de conclusão: 30.11.2020 

Investimento total elegível: 7.021.739,21 € 

Apoio financeiro da União Europeia através do FEDER: 4.547.393,15 €

Investimento total elegível – Universidade de Aveiro: 127.653,73 € 

Resumo: O projeto MOBFOOD tem como objetivo responder aos desafios relacionados com a promoção de uma indústria alimentar nacional mais competitiva. Passará pela promoção de novas estratégias de crescimento baseadas no reforço da capacidade tecnológica, de inovação e de I&D orientadas à obtenção de novos produtos, serviços, processos ou tecnologias, atuando ao longo de toda a cadeia de valor e reforçando a colaboração entre o setor empresarial e não empresarial. Pretende-se que o setor alimentar seja sustentável, totalmente integrado, interligado, transparente, resiliente, seguro, eficiente na utilização dos recursos e centrado no consumidor. Pretende-se alcançar estes objetivos através da implementação de soluções em três pilares principais: “Segurança Alimentar e Sustentabilidade”, “Alimentação para a Saúde e Bem-estar” e “Alimentos Seguros e Qualidade”, materializando-se na investigação e desenvolvimento de novos processos, produtos ou serviços. 

Estrutura do Projeto: PPS 2. Resíduos e Utilização Eficiente de Recursos | PPS 3. Embalagens sustentáveis com propriedades ativas para aplicações alimentares |PPS 4. Nutrição, Saúde e Bem-Estar | PPS 5. Qualidade e Segurança Alimentar |PPS 6. Autenticidade e rastreabilidade de produtos frutícolas DOP (Pera Rocha do Oeste) e IGP (Maçã de Alcobaça var. Golden Delicious) e queijo DOP (Serra da Estrela) | PPS 7. Logística - Cadeia Logística Agroalimentar Sustentável Colaborativa | PPS 8. Consumidor - Novas Tecnologias de Avaliação | PPS 9. Coordenação de Projeto, Promoção, Disseminação e Exploração de Resultados.

  ____________________________________________________________________________

 

Designação do Projeto: Valorização dos subprodutos do processo biotecnológico de produção de esqualeno e DHA pela microalga Aurantiochytrium sp.

Código do Projeto: POCI-01-0247-FEDER-017680

Tipologia da Operação: Sistema de Incentivos à Investigação e Desenvolvimento Tecnológico – Projetos em Co-Promoção

Objetivo temático: OT 1 - Reforçar a investigação, o desenvolvimento tecnológico e a inovação 

Região de Intervenção: Norte, Centro, Lisboa, Alentejo; Algarve

Entidade beneficiária: Depsiextracta Tecnologias Biológicas, Lda. 

Copromotores:Universidade de Aveiro; Instituto Politécnico de Leiria; Instituto Português do Mar e da Atmosfera, I.P.

Data de início: 01.11.2016
Data de conclusão: 30.10.2019
Investimento total elegível:1.218.371,30
Apoio financeiro da União Europeia através do FEDER: 802.901,21 €
Investimento total elegível – Universidade de Aveiro: 152.772,04 € 

Resumo: O projeto Algavalue pretende otimizar o processo biotecnológico de produção de esqualeno, de elevado interesse para a saúde atendendo às suas propriedades anti-oxidativas e anti-cancerígenas, a partir de uma microalga heterotrófica que, em determinadas condições de crescimento, além de produzir quantidades significativas de esqualeno, produz outros compostos de elevado valor e interesse comercial, como o ácido docosahexaenoico (DHA) e carotenóides, entre outros. Adicionalmente, é intenção do projeto desenvolver estratégias de valorização dos sub-produtos e dos resíduos resultantes das bio-refinarias, promovendo práticas ambientalmente mais sustentáveis e acrescentando valor comercial a esta atividade.

 

_________________________________________________

Designação do Projeto: SambucusValor - Valorização integrada do sabugueiro em função dos padrões de consumo saudável: da planta à criação de novos produtos alimentares de valor acrescentado.
Código do Projeto: PDR2020-1.0.1-FEADER-031113
MEDIDA N.º 1, «INOVAÇÃO» | AÇÃO N.º 1.1 «GRUPOS OPERACIONAIS»

Entidade beneficiária: INOVTERRA, ASSOCIAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO LOCAL
Copromotores: Alberto Luis Branco Miranda de Carvalho neto; Inovfood, Unipessoal Lda; Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária; Oldland, Unipessoal Lda; Publindustria Produção de Comunicação Lda; Universidade de Aveiro

Data de início: 01.03.2018
Data de conclusão: 28.2.2022
Investimento total elegível: 460.000€
Apoio financeiro da União Europeia através do FEDER: 256.456,27€

Resumo: O GO SambucusValor pretende tirar partido do facto de em Portugal existirem culturas de sabugueiro com boa capacidade de adaptação às condições naturais e de cultivo e que podem funcionar como uma excecional fonte de matéria-prima para o desenvolvimento de produtos alimentares de valor acrescentado, em linha com as atuais tendências de mercado, nomeadamente a valorização de produtos naturais, locais, saudáveis, práticos de consumir, e que confiram prazer e bem-estar. Assim, o GO SambucusValor visa o desenvolvimento de produtos alimentares de valor acrescentado a partir do sabugueiro, com vista a aumentar a sua penetração nos mercados interno e externo. Este GO pretende contribuir para a valorização integrada deste recurso endógeno português com base na criação de indicadores de qualidade e de estratégias de produção e transformação sustentáveis, nomeadamente tirando partido das competências e recursos instalados nas entidades parceiras, e que deverão conduzir à criação de um centro piloto do sabugueiro potenciador deste desenvolvimento. Este centro deverá constituir um núcleo de inovação em toda a cadeia de valor do sabugueiro. É ainda de realçar que a equipa foi desenhada no sentido de criar sinergismos e complementaridades, estimulando os canais adequados de comunicação e de transferência de conhecimentos e tecnologias, aproximando as entidades I&D com os produtores e empresas do setor agroalimentar. 


  _____________________________________________________________

Designação do Projeto: Waste2Value - Integração da valorização de subprodutos da atividade agrícola com a produção de alimentos compostos para animais, plásticos biodegradáveis e tratamento de efluentes animais

Código do Projeto: PDR2020-101-031828

MEDIDA N.º 1, «INOVAÇÃO» | AÇÃO N.º 1.1 «GRUPOS OPERACIONAIS»

Entidade beneficiária: ASSOCIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO DÃO LAFÕES E ALTO PAIVA

Copromotores: Associação Nacional de Criadores de Ovinos Serra da Estrela; Ervital, Lda; Indumape - Industrialização de Fruta S.A.; Instituto Politécnico de Viseu; Ovargado-Sociedade Comercial e Industrial de Alimentos para Animais S.A.; Silvex - Indústria de Plásticos e Papéis, S.A.; Universidade de Aveiro; Vasco Pinto & Agostinho Sousa Produtos Hortícolas e Ervas Aromáticas Lda.

Data de início: 01.12.2017

Data de conclusão | 30.11.2020

Investimento total elegível | 418.466,88 €

Apoio financeiro da União Europeia através do FEADER | 313.850,16

Resumo: O Waste2Value investiga soluções que contribuam para resolver o problema do desperdício de alimentos ao longo da cadeia de valor. Promove o aproveitamento e valorização de subprodutos da produção agrícola e da indústria agroalimentar, criando de forma sustentável novos processos e produtos a serem utilizados numa alimentação animal mais saudável, no tratamento de efluentes animais e em bioplásticos.

 

 ____________________________________________________________________________

Designação do Projeto: ALGAVALOR - MicroALGAs: produção integrada e VALORização da biomassa e das suas diversas

Código do Projeto: POCI-01-0247-FEDER-035234

Tipologia da Operação: Sistema de Incentivos à Investigação e Desenvolvimento Tecnológico – Projetos em Co-Promoção

Objetivo temático: OT 1 - Reforçar a investigação, o desenvolvimento tecnológico e a inovação 

Região de Intervenção: Norte; Centro, Lisboa, Alentejo e Algarve

Entidade beneficiária: CMP - Cimentos Maceira e Pataias S.A.

Copromotores: Necton, Companhia Portuguesa de Culturas Marinhas S. A.; Valorgado - Agricultura e Pecuária, Lda.; Castelbel - Artigos de Beleza, S. A.; Ernesto Morgado, S. A.; Empresa Figueirense de Pesca, Lda.,; Allmicroalgae - Natural Products, S. A.; Vaisa - Agricultura Intensiva, S. A.; Narciso Dias & Filhos, Lda.; LIPOR - Serviço Intermunicipalizado de Gestão de Resíduos do Grande Porto; CIIMAR - Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha e Ambiental; Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária, I. P.; Instituto Politécnico de Leiria; Laboratório Nacional de Energia e Geologia, I. P.; Instituto Superior de Agronomia; Universidade do Porto; Universidade Católica Portuguesa; Universidade do Minho; Universidade de Aveiro; Universidade do Algarve.

Data de início: 01-01-2018

Data de conclusão: 31.12.2021

Investimento total elegível: 10.481.791,21€

Apoio financeiro da União Europeia através do FEDER: 6.639.595,65€

Investimento total elegível – Universidade de Aveiro | 

Resumo: Projeto ALGAVALOR tem como objetivo geral a produção integrada de microalgas e a valorização da sua biomassa e extratos em diferentes aplicações, estando previsto o desenvolvimento e lançamento de novos produtos nos mercados da alimentação humana, nutrição animal, cosmética e biofertilizantes. Para o efeito, são propostos novos processos produtivos, com sustentabilidade acrescida. Este objetivo geral pode ser desagregado num conjunto de objetivos específicos, cada um concretizado em um subprojeto (SP) específico:

  • valorização de microalgas para alimentação humana (SP 1);

  • valorização de microalgas para alimentação animal (SP 2);

  • valorização de microalgas para cosmética natural (SP 3);

  • desenvolvimento de novos processos, incluindo reatores abertos de “nova geração”, e otimização dos processos existentes, tendo em vista a obtenção de ganhos de escala e eficiência (SP 4);

  • desenvolvimento de biofertilizantes agrícolas a partir de microalgas e, aproveitamento de resíduos agroindustriais como inputs para a produção de “microalgas biológicas“ numa lógica de economia circular (SP 5);

  • por último, o projeto ALGAVALOR pretende atingir um largo impacto multissetorial, nacional e internacional, nas várias fileiras a serem testadas (SP 6).

O projeto ALGAVALOR desenvolverá I&D em torno das aplicações de microalgas (pasta fresca, pó e/ou extratos) gerando novos produtos ricos em biomassa e/ou extratos microalgais, tendo como parceiros end-users chave em mercados alvo: alimentação humana e animal e cosmética. Serão igualmente otimizados e desenvolvidos novos processos, incluindo reatores abertos de nova geração e desenvolvidos meios “biológicos” de cultivo de baixo custo.

 
última atualização a 07-10-2019
Este sítio web utiliza cookies sem recolher informação pessoal que permita a identificação dos utilizadores. Ao navegar neste sítio está a consentir a sua utilização.saber mais
Para que esta página funcione corretamente deve ativar a execução de Javascript. Se tal não for possível, algumas funcionalidades poderão estar limitadas.